Witzel e Crivella têm dia decisivo hoje em votações sobre impeachment

Comissão se reúne pela manhã e parecer deve ser favorável a novo afastamento do governador; à tarde, vereadores votam para decidir se aceitam abertura de rito contra o prefeito


Agência O Globo
Agência O Globo
Do Agência O Globo | Em: 17/09/2020 às 09:03:35

Crivella e Witzel terão 'Dia D' nesta quinta-feira em votações que tratam sobre pedidos de impeachment contra o prefeito e o governador (Foto: Marcos de Paula em 26-6-2019 / Agência O Globo)
Crivella e Witzel terão 'Dia D' nesta quinta-feira em votações que tratam sobre pedidos de impeachment contra o prefeito e o governador (Foto: Marcos de Paula em 26-6-2019 / Agência O Globo)

Logo pela manhã desta quinta-feira (17), a Comissão de Impeachment da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) se reúne, às 11h, para deliberar sobre o parecer do relator, Rodrigo Bacellar (SDD) sobra a situação de Witzel, que já está afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O caso, no âmbito legislativo, está agora nas mãos dos deputados. O texto de Bacellar, de acordo com a colunista Berenice Seara do Extra, vai concordar com o pedido de afastamento de Witzel por 180 dias. Por ter foro privilegiado, o governador afastado, citado em fraudes em compras emergenciais para o combate ao coronavírus, já é investigado pelo STJ.

Basta a maioria simples dos deputados (13 dos 25 membros da comissão) dizer sim para o parecer de Bacellar ser aprovado. Na semana que vem, o relatório segue para a análise e votação de todos os membros da Casa, em plenário. Lá precisa receber dois terços dos votos de todos os deputados (47) para ser aprovado.

Câmara vota 5º pedido de impeachment contra Crivella

Enquanto isso, a tarde desta quinta-feira será dedicada a um novo pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella, que pela quinta vez passará pelo crivo dos vereadores. Nos pedidos anteriores, por ter maioria, o prefeito conseguiu escapar de um processo que poderia afastá-lo do cargo. A partir das 16h, os 51 vereadores da Câmara do Rio votam um novo requerimento, protocolado pelo PSOL.

A medida foi motivada pela operação do Ministério Público estadual para desbaratar o que os promotores chamam de “QG da Propina” na prefeitura. Na semana passada, foram cumpridos 22 mandados de busca e apreensão, até mesmo na casa de Crivella, que teve o celular apreendido. As investigações indicam que empresas eram beneficiadas em troca de propina distribuída a integrantes do governo.

A sorte de Crivella será decidida por maioria simples. Se for aprovada a abertura do processo de impeachment, a comissão processante será sorteada na própria sessão.