Seleção brasileira

Willian vê evolução ‘muito grande’ do Brasil

Meia que foi destaque na vitória da equipe nacional sobre o México também exalta Hazard como o melhor belga e aposta em jogo difícil contra a Bélgica


Estadao Conteúdo
Estadao Conteúdo
Do Estadao Conteúdo | Em: 04/07/2018 às 14:16:40

Com atuação abaixo da média nos jogos anteriores, Willian foi destaque no segundo tempo contra o México | Foto: Lucas Figueiredo - CBF
Com atuação abaixo da média nos jogos anteriores, Willian foi destaque no segundo tempo contra o México | Foto: Lucas Figueiredo - CBF

Um dos destaques da seleção na vitória sobre o México, o meia Willian espera um jogo muito difícil diante da Bélgica, mas não mais do que aqueles que o Brasil enfrentou até agora na Copa do Mundo da Rússia. O jogador do Chelsea reconhece que os belgas têm atletas muito habilidosos no setor ofensivo, como o meia Hazard, seu companheiro de clube, mas destaca que todos os adversários são complicados em um Mundial. Para ele, que vê a seleção em crescimento no torneio, o mais importante é o Brasil conseguir impor sua ideia de jogo na partida desta sexta-feira (6), às 15 horas (de Brasília), em Kazan, pelas quartas de final da competição.

Nesta quarta-feira (4), logo após o último treino da seleção em Sochi, Willian fez uma avaliação dos jogos da seleção até aqui e afirmou que o Brasil está num momento de crescimento. “Sem dúvida a seleção teve uma evolução muito grande desde o primeiro jogo, quando teve a questão do nervosismo de uma estreia. Viemos crescendo e hoje estamos muito bem, no mesmo nível das Eliminatórias. Esperamos levar isso (para o jogo) contra a Bélgica, com concentração, sem tomar gols, como aconteceu até agora”, disse.

O jogador do Chelsea elogiou o adversário desta sexta. “São vários jogadores que jogam na Premier League (Campeonato Inglês), alguns comigo no Chelsea. São grandes jogadores, com muita qualidade, e o Hazard é o principal deles. Courtois é um baita goleiro. Difícil achar um ponto fraco, é um goleiro muito alto, que sai bem. Vamos procurar a melhor maneira para atacar a Bélgica”, pontuou o jogador.

Sobre Hazard, Willian foi mais longe. Ele o chamou de “um dos melhores jogadores do mundo” e enalteceu o relacionamento que tem com o colega no clube. “É a primeira vez em cinco anos de Chelsea que vou jogar contra ele. É um cara que, além de baita jogador, é muito humilde. Gosto muito dele, de ter um relacionamento com ele no clube, mas é o momento de cada um defender o seu lado, e espero levar a melhor”, comentou.

Sobre a partida válida pelas quartas de final, Willian considera que o Brasil terá pela frente uma seleção tão difícil como as quatro enfrentadas até aqui. “A gente já teve vários testes, vários jogos difíceis. Copa do Mundo não tem jogo fácil, todo adversário é complicado, difícil de jogar. Vai ser um jogo importante, difícil, mas, independentemente do adversário, temos que manter nossa ideia de jogo, marcar forte, buscar espaços. Isso que vamos fazer contra a Bélgica”, afirmou o meia.

Paulinho é poupado

Em seu último treino em Sochi durante a Copa do Mundo, a seleção brasileira não contou com a presença de Paulinho na atividade realizada no estádio Slava Metreveli nesta quarta-feira. O volante realizou apenas trabalhos regenerativos pelo segundo dia consecutivo, mas a assessoria de imprensa da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) assegura que ele não preocupa para o duelo de sexta-feira com a Bélgica, em Kazan, pelas quartas de final da competição.

Negociado no meio de 2017 pelo Guangzhou Evergrande, da China, com o Barcelona, Paulinho não teve férias antes do início da última temporada europeia. O volante é um dos jogadores que mais tem sentido o desgaste físico durante a Copa do Mundo, a ponto de ter sido substituído por Tite em todos os quatro jogos que a seleção já fez na Rússia.

No último deles, o triunfo de segunda-feira sobre o México por 2 a 0, em Samara, pelas oitavas de final da Copa, Paulinho deixou o campo reclamando de dores nas costas. Na terça-feira, assim como todos os titulares, ele apenas realizou trabalhos na academia em Sochi. Agora, então, fez atividades regenerativas pelo segundo dia consecutivo, descendo ao campo apenas calçando tênis e acompanhado por um dos fisioterapeutas da comissão técnica.