Francisco Costa
Do Mais Goiás

Vitor Hugo vira líder do PSL na Câmara e sigla reaproxima de Bolsonaro

"Senti muita disposição do presidente Luciano Bivar na reaproximação. Então, quem for radical, falar de impeachment, vai ficar desalinhado como que o partido defende”

Vitor Hugo vira líder do PSL na Câmara e sigla reaproxima de Bolsonaro
Vitor Hugo vira líder do PSL na Câmara e sigla reaproxima de Bolsonaro (Foto: Reprodução / Facebook)

O deputado federal por Goiás, Major Vitor Hugo (PSL), é agora o novo líder do PSL na Câmara. A escolha, feita por colegas de bancada, na tarde desta quarta (3), pode selar a paz entre as duas alas da sigla: “bolsonaristas” e “bivaristas”. “Estamos trabalhando para pacificar”, disse ao Mais Goiás. Com isso, o “PSL volta agora a caminhar com o governo Bolsonaro”.

E continua: “Ser o líder do partido vai me permitir orientar durante as votações para que os nossos deputados votem alinhados para que a gente consiga aprovar as pautas que são importantes para o Governo e necessárias para o Brasil.”

Vale destacar, Vitor Hugo articulou a saída do PSL do bloco de apoio ao candidato de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara, Baleia Rossi (MDB-SP). À época, o deputado delegado Waldir (PSL) disse que os deputados do partido votariam em Arthur Lira (PP-AL) – novo presidente da Casa – por cargos e emendas.

Questionado sobre posições mais radicais contra o governo, como do próprio delegado Waldir e da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), Vitor Hugo diz que, se eles não diminuírem o tom, podem ficar “escanteados”.

“Senti muita disposição do presidente Luciano Bivar na reaproximação. Então, quem for radical, falar de impeachment, vai ficar desalinhado como que o partido defende.” Sobre uma reaproximação do presidente com a sigla, uma possível nova filiação, ele diz que ainda é cedo para falar disso.

Entre as pautas, o novo líder defende a discussão e aprovação de pautas como as Reformas Administrativa, Tributária, a PEC dos Fundos, a PEC Emergencial, a Revisão do Pacto Federativo, a posse e o porte de armas de fogo, Homeschooling, entre outras.

Vale lembrar, o deputado federal também foi líder do governo Bolsonaro na Câmara. Ele ocupou o cargo de janeiro de 2019 a agosto de 2020.