Desabafo

Vítima no México, Ronaldinho pede ‘basta’ ao racismo

"Estamos todos cansados disso. É um assunto que fere, que vai além da cor da pele ou da nacionalidade. Espero que em breve tudo isso acabe", disse o jogador




Ronaldinho Gaúcho voltou a falar sobre o caso de racismo ocorrido logo que chegou ao México para atuar no Querétaro. Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira, o craque mostrou-se incomodado com o fato e pediu uma mudança em relação à postura das pessoas. “Basta. Estamos todos cansados disso. É um assunto que fere, que vai além da cor da pele ou da nacionalidade. Espero que em breve tudo isso acabe”, disse o jogador.

Ronaldinho foi apresentado pelo clube no dia 12 de setembro. Dois dias depois, o político Carlos Trevino Núñez reclamou da bagunça e do trânsito nas ruas da cidade. “Eu tento ser tolerante, mas eu detesto futebol, e o fenômeno de idiotice que produz. Eu detesto ainda mais porque as pessoas inundam as avenidas fazendo-nos chegar duas horas mais tarde em casa. E tudo isso para ver um macaco… Brasileiro, mas ainda assim um macaco. Isso é um circo ridículo”, postou o político em uma rede social na época.

Na entrevista desta terça, Ronaldinho também falou do seu desempenho em campo após cinco partidas disputadas pelo Querétaro. O craque frisou que ainda está passando por um período de adaptação. “Estou feliz por estar aqui. O objetivo é ficar entre os oito primeiros. Espero que em pouco tempo eu possa estar nas melhores condições para dar alegria aos torcedores. Pouco a pouco, vou me adaptando. Em pouco tempo darei alegrias ao clube. Estamos jogando bem, mas está nos faltando sorte com o resultados’, disse o jogador, que já marcou dois gols pelo clube.

Após sair do Atlético-MG, Ronaldinho Gaúcho fechou um contrato de dois anos com o Querétaro, onde vai ganhar US$ 2 milhões (R$ 4,6 milhões) além de participação na venda de produtos licenciados.