Mais violento

Violência em Goiás aumenta 64,3% em 10 anos, aponta estudo do Ipea

Pesquisa analisa dados entre os anos de 2007 e 2017. No Brasil, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes bateu recorde


Artur Dias
Do Mais Goiás | Em: 07/06/2019 às 18:55:31

Goiás é o único estado do país a não informar números de mortes por policiais (Foto: Reprodução)
Goiás é o único estado do país a não informar números de mortes por policiais (Foto: Reprodução)

A violência em Goiás cresceu 64,3% entre os anos de 2007 e 2017. É o que aponta o Atlas da Violência 2019. O estudo foi publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) na última quarta-feira (5).

O levantamento mostra que, em 2007, o índice de homicídios era 26 a cada 100 mil habitantes. Dez anos depois, esse número aumentou para 42,8. Apesar disso, é possível perceber que houve uma leve queda nos últimos cinco anos. Em 2012, a taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes chegou a 45,4.

O estudo também mostra que a violência em Goiás é maior do que a média nacional. E a distância está aumentando. Em 2007, o estado estava com uma taxa 1,92% maior do que a do País. Já em 2017, esse percentual aumentou para 26,16%.

Juventude

A mortalidade entre os jovens também tem aumentado significativamente. Ao contrário dos dados gerais, que tem mostrado uma queda nos índices de violência nos últimos cinco anos, o número de homicídios de pessoas entre 15 e 29 anos não parou de subir.

Nos anos estudados, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes pulou de 51,6 em 2007 para 91,6 em 2017. Em números absolutos, a morte de jovens em  Goiás quase dobrou. Saltou de 849 para 1.601.

Mulheres

Em relação ao feminicídio, quando mulheres são assassinadas devido ao fato de serem mulheres, o número saiu de 139 em 2007 para 256 em 2017. A taxa de mortes por 100 mil habitantes era de 4,7 e subiu para 7,6.

Nesses casos, a pesquisa cruzou informações dos homicídios de mulheres com o local onde a ocorrência aconteceu. Assim, foi possível identificar que, do total de homicídios contra mulheres, 28,5% são dentro de casa. Esses números foram considerados como feminicídio porque são resultado de violência doméstica.

Negros

Os homicídios contra a população negra no Estado de Goiás também aumentaram. Entretanto, é possível observar que eles acompanharam a tendência de queda nos últimos cinco anos, apresentada nos dados gerais da população.

O número absoluto de pessoas negras mortas em 2017 foi 2.284, contra 1.052 de 2007. A taxa de homicídio a cada 100 mil habitantes entre essa população saltou de 29,6 para 53.

Brasil

A taxa nacional aumentou 4,2% entre 2016 e 2017. Esse aumento fez o Brasil bater o recorde de 31,6 mortes para cada 100 mil habitantes. Por região, os maiores aumentos foram nas regiões Norte e Nordeste, onde a taxa passou de 45 homicídios por 100 mil habitantes. O estudo completo pode ser acessado aqui.