Classificado!

Vila vence a Portuguesa por 2 a 1 e fatura o acesso

Os gols do Vila Nova foram marcados por Frontini ainda no primeiro tempo.





//

Mesmo com um Canindé cheio, a Portuguesa não conseguiu fazer valer o mando de campo e foi derrotada pelo Vila Nova por 2 a 1.

Com o resultado, a Lusa permanece na Série C do Campeonato Brasileiro, enquanto o Vila Nova garantiu o acesso, além da vaga nas semifinais da competição.

Na próxima fase do torneio, o Vila Nova vai enfrentar o Brasil de Pelotas, que conseguiu segurar um 0 a 0 com o Fortaleza, no Ceará. Como havia vencido o primeiro jogo por 1 a 0, os gaúchos se garantiram na semifinal e, de quebra, conquistaram um lugar na Série B do Brasileirão.

O JOGO

A Portuguesa deu o pontapé inicial e tentou a primeira ação ofensiva da partida, mas foi o Vila Nova que levou perigo primeiro. Logo com três minutos, os goianos acertaram a trave. Após cobrança de escanteio na esquerda, Vinícius Simon cabeceia duas vezes. Na primeira, o goleiro Anderson defendeu. Na segunda, a bola bateu no poste.

A Lusa partiu para uma pressão e assustou o Vila Nova duas vezes aos sete minutos. O zagueiro Gustavo Bastos salvou o time de Goiás em ambas as oportunidades, cortando um cabeceio e depois um chute de fora da área.

Aos 11 minutos, saiu o primeiro gol do jogo. Após cobrança de escanteio da esquerda, Frontini apareceu livre na segunda trave e cabeceou firme para abrir o placar e colocar o Vila Nova na frente. Logo depois, aos 14, o Tigre chegou ao segundo gol, novamente com Frontini. Anderson falhou e o Vila Nova encaixou um contra-ataque que terminou com a finalização de perna esquerda do atacante.

Em desvantagem no placar, a Portuguesa foi para cima do Vila Nova. Aos 27, Guilherme Queiroz chutou forte da entrada da área e quase acertou o canto do goleiro Edson. Por pouco a Lusa não diminuiu. O mesmo Guilherme Queiroz teve outra chance na marca de 40 minutos, desta vez de cabeça, mas Edson defendeu.

O Vila Nova teve a chance de fazer o terceiro e complicar ainda mais a vida da Portuguesa, mas desperdiçou a oportunidade. Frontini encontrou Moisés livre na área, mas o atacante bateu em cima do goleiro Anderson. Na sequência, a Lusa chegou ao primeiro gol. Em contra-ataque mortal, Paulinho aproveitou rebote de Edson para estufar as redes.

O tempo fechou depois do gol do time paulista. Os jogadores se estranharam em campo e o juiz Péricles Bassols não quis saber de conversa. Ele mostrou o cartão vermelho para Frontini, autor dos gols do Vila Nova, e para Hugo, da Portuguesa. Além deles, o técnico da equipe goiana, Márcio Fernandes, também foi expulso.

O Vila Nova adotou postura mais defensiva no segundo tempo enquanto a Lusa buscava mais o ataque. O time do Canindé tentava pressionar a saída de bola da zaga da equipe goiana para surpreender o rival. Aos oito minutos, Paulinho recebeu de costas para o gol, girou e chutou de bico. A bola subiu muito e passou longe da meta defendida por Edson.

Os goianos apostavam apenas no contra-ataque e davam espaços para a Portuguesa trabalhar as jogadas. Sem Frontini, Moisés era o único jogador ofensivo do Vila Nova e ficava isolado no ataque. O meia Robston tentava se aproximar, mas não tinha muito sucesso. Dominando as ações ofensivas, a Lusa levou perigo aos 15 minutos. Luan pegou sobra na área do Vila e a bola passou rente à trave do goleiro Edson.

A Portuguesa tinha ampla vantagem na posse de bola, mas não conseguia furar a retranca do Vila Nova. Aos 28, Anderson teve grande chance de empatar, porém não aproveitou. Após levantamento para a área, a bola sobrou na segunda trave para o zagueiro, que dominou de coxa e emendou sem deixar cair. A finalização, no entanto, não foi boa.

Na marca de 32 minutos, Paulinho perdeu uma oportunidade incrível para a Lusa. Depois de cruzamento pela esquerda, o atacante subiu sozinho e, na cara do gol, cabeceou para fora, à esquerda de Edson. Aos 38, Guilherme Queiroz arriscou da entrada da área e Edson caiu para defender com segurança. A Portuguesa insistia no ataque, mas não conseguiu marcar os três gols de que necessitava para garantir a vaga na Série B. (Da Gazeta)

Tópicos