Flagrante

Vídeo mostra momento em que bombeiro é atacado por grupo de pichadores na cidade de Goiás

O caso aconteceu na última segunda-feira (27), quando o militar, em seu horário de folga, surpreendeu os jovens pintando o muro de sua residência e reagiu


Thiago Burigato
Do Mais Goiás | Em: 03/03/2017 às 08:32:28

Nas imagens é possível ver o grupo agredindo o militar, que também revidou com socos. Momentos depois, próximo a um carro, o soldado é esfaqueado por um homem de camisa preta (Foto: Reprodução)
Nas imagens é possível ver o grupo agredindo o militar, que também revidou com socos. Momentos depois, próximo a um carro, o soldado é esfaqueado por um homem de camisa preta (Foto: Reprodução)

Um vídeo de câmaras de segurança mostra o momento em que o soldado do Corpo de Bombeiros, Marcos Wilton Martins Santos, foi atacado por um grupo de pichadores na cidade de Goiás. O caso aconteceu na última segunda-feira (27), quando o militar, em seu horário de folga, surpreendeu os jovens pintando o muro de sua residência e reagiu.

Nas imagens é possível ver o grupo agredindo o militar, que também revidou com socos. Momentos depois, próximo a um carro, o soldado é esfaqueado por um homem de camisa preta. Marcos ainda resiste e briga por alguns segundos até, por fim, conseguir sair da confusão.

Ferido, ele foi encaminhado consciente ao Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol). Conforme nota divulgada pela unidade nesta sexta-feira (3), ele está em bom estado de saúde e respirando espontaneamente.

De acordo com o delegado que investiga o caso, Gustavo Cabral, os envolvidos no episódio de agressão se apresentaram a Polícia Civil nesta semana. Eles foram ouvidos e liberados.

Segundo o delegado, todos eles têm idades entre 20 e 25 anos, e nenhum tem passagem pela polícia. “Foi identificado que só um dos rapazes atacou o soldado com canivete. Os outros agrediram, mas não participaram do golpe”, afirmou.

De acordo com Gustavo, a polícia vai definir até sexta-feira da semana que vem (10) se pede a prisão do rapaz que utilizou o canivete – cujo nome não foi divulgado – e por qual crime. “Vamos ouvir a vítima e aguardar os laudos para ver se o caso configura tentativa de homicídio ou lesão corporal grave, mas a priori estamos considerando como tentativa de homicídio”, conclui.