Veterinários voluntários ajudam no manejo de animais na Chapada dos Veadeiros

Ainda não se sabe o impacto do fogo sobre a fauna, mas equipe montou bases de apoio para casos de emergência

Veterinários voluntários estão ajudando na identificação e manejo de animais no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, atingido por um incêndio que persiste desde o dia 10 de outubro. Os profissionais são de Minas Gerais e da Fundação Jardim Zoológico de Brasília (FJZB).

Segundo informações cedidas ao Mais Goiás pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela administração do Parque, nenhum animal foi encontrado morto ou ferido por causa do incêndio, a não ser uma arara que foi resgatada e está sob cuidados em um zoológico da região. Além disso, a instituição informou que o resgate e manejo da fauna é feito após o controle das chamas, momento em que os animais partem em busca de alimento e abrigo.

Ainda de acordo com o ICMBio, a grande preocupação é com os repteis, pois os grandes mamíferos como lobos-guará, tamanduás e veados conseguem fugir das chamas com rapidez. No momento, dois focos de incêndio estão sendo combatidos. A região mais crítica e que demanda maior parte dos voluntários é entre a Serra de Santana e o município de Cavalcante. O outro ponto, em que o fogo está controlado, fica no Vale da Lua.

Além dos veterinários, cerca de 500 voluntários da FJZB foram divididos em grupos e estão ajudando em várias áreas do parque – após passarem por uma capacitação. Brigadistas do ICMBio, do Ibama e do Corpo de Bombeiros estão combatendo as chamas.

De acordo com informações da FJZB, o monitoramento do fogo e o trabalho de cuidado aos animais está sendo coordenado em parceria com a Reserva Bacupari, o Projeto Salvar, e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Distrito Federal (Sema/DF).

O ICMBio estima que até neste fim de semana o incêndio deve ser controlado. A partir deste momento, o apoio dos veterinários e voluntários vai ser de extrema importância, uma vez que muitos animais acabam nas rodovias. Por enquanto, segundo a fundação, foram instaladas duas bases de apoio com medicamentos, kits cirúrgicos e vários equipamentos para o manejo de animais.

Capacitação dos voluntários do Zoológico de Brasília (Foto: Fundação Jardim Zoológico de Brasília)

Técnica

O chefe do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Fernando Tatagiba, publicou em suas redes sociais um vídeo que mostra a técnica de queimada prescrita como alternativa de preservação, que vem sem sendo desenvolvida no local para evitar que outros incêndios atinjam o parque.

O ICMBio adota o Manejo Integrado do Fogo (MIF) desde o início deste ano e define o método como uma prevenção, de modo que um estudo é feito e uma determinada região é incendiada propositalmente para evitar que outros incêndios, como o que está atingindo a Chapada, não se alastrem para áreas maiores.

A coordenação do Parque estima que 35 mil hectares (o equivalente a 35 mil campos de futebol) tenham sido destruídos pelo incêndio, que foi o maior da história da Chapada dos Veadeiros. A área queimada corresponde a 27% do total.

Área preservada graças ao método de MIF (Foto: Fernando Tatagiba)

 

Amanda Sales é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo