Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás

Vereador quer que Villa Mix vire festa oficial de Goiânia

Decisão foi após aprovação do projeto de lei proposto pelo vereador Kleyber Morais (PSDC), que alegou a importância do evento para a capital goiana

O Festival Villa Mix foi reconhecido como festa oficial de Goiânia após aprovação, em segunda votação, do projeto de lei de autoria do vereador Kleyber Morais (PSDC). O projeto foi levantado após o parlamentar alegar o significado do evento para a cidade e a importância benéfica para vários setores da capital. Para se tornar lei, ainda requer sanção do prefeito.

No texto, ele destaca que o festival traz público de diversas partes do país para conhecer os pontos turísticos de Goiânia e que é “justo” reconhecer o evento como parte da cultura goianiense. “O evento é o ponto alto do turismo em Goiânia, nada mais justo e necessário do que reconhecer como parte do calendário cultural da cidade. Eu só estendi para o mês de junho, agora pode ser em junho e julho”, destaca.

Para aprovação do projeto, o parlamentar destaca que colheu depoimentos na Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), Secretaria de Estado de  Gestão e Planejamento (Segplan) e constatou que a atratividade aquece a economia local. ” Você não encontra hotel disponível na época do Villa Mix. Isso porque pessoas de várias partes do mundo vêm à cidade. Aquelém disso, aquece movimentação da própria cidade, bem como a economia”, conta, apontando a movimentação do comércio, a geração de empregos temporários e recolhimento de impostos por parte da prefeitura.

Reclamações

Sendo sediado no estacionamento do estádio Serra Dourada, no Jardim Goiás, o evento nem sempre foi bem visto com bons olhos pelos moradores do local. Tanto que, em 2016, o Ministério Público cobrou o pagamento dos responsáveis do evento à Agetop, que autorizou a realização do evento no local, o valor de R$ 200 mil pelo fato do evento exceder o horário permitido do show, que veio terminar após às 2 horas da manhã.

Já em 2017, após a decisão, nos dois dias, os shows terminaram pontualmente no horário estipulado, à meia-noite. “Eles (organização) têm autorização para isso. A Amma realizou diversos estudos e chegaram a um acordo. Hoje está tudo encaminhado para que o festival continue sendo um sucesso”, retrata.

O evento entrou duas vezes no Guinnes World Records. A primeira vez em 2015, quando superou a marca da banda irlandesa U2 como o maior palco do mundo. O festival arrecadou o prêmio com uma estrutura de 127 metros de comprimento, 50,5 metros de altura e área de 2.724 m².

Já em 2017, o festival quebrou o próprio recorde e ganhou novamente o título de maior palco do mundo com um estrutura de 70 metros de altura e 120 metros de largura.