Vendedor ambulante é agredido em bar de Goiânia: “fui chamado de vagabundo” – vídeo

"Você falou que é estrangeiro, não foi?", disse o homem ainda não identificado ao agredir a vítima

Um vendedor ambulante foi agredido em um bar de Goiânia em suposto caso de xenofobia. O crime ocorreu na terça (12), no Jardim América. (Foto: reprodução)
Um vendedor ambulante foi agredido em um bar de Goiânia em suposto caso de xenofobia. O crime ocorreu na terça (12), no Jardim América. (Foto: reprodução)

Um vendedor ambulante foi agredido em um bar de Goiânia em suposto caso de xenofobia. O crime ocorreu na noite de terça-feira (12), no Setor Jardim América, e foi filmado pela vítima. O homem se diz incrédulo com a violência sem explicação. Ele registrou boletim de ocorrência na quarta (13).

Ao Mais Goiás, Manoel Mendes, de 29 anos, contou que trabalha como vendedor ambulante de chicletes e balas. Na noite de terça, ele foi até um bar do Jardim América na tentativa de vender as guloseimas.

Ele conta que passou de mesa em mesa oferecendo os produtos. Em determinado momento, deixou uma sacola cair no chão, momento em que começou a ser questionado e xingado pelo agressor ainda não identificado. “Ele perguntou se eu era estrangeiro e se estava aproveitando das pessoas para pedir dinheiro. Disse que não, mas os insultos continuaram”, afirmou.

Imagens gravadas pela própria vítima mostram a violência. O agressor fala coisas desconexas e parte em direção ao vendedor. “Você falou que é estrangeiro, não foi?”, disse o homem ainda não identificado ao agredir a vítima.

Vendedor ambulante agredido em bar de Goiânia diz que agressões começaram sem motivo algum

Segundo o vendedor, as agressões começaram sem motivo algum. Manoel relata que o agressor se apresentou como policial, mas não apresentou nenhuma identificação.

“Ele começou a me insultar e agredir do nada. Falava que eu disse ser estrangeiro e que estava mentindo. Não sou estrangeiro, sou de Fortaleza. O homem simplesmente criou inverdades na cabeça dele e passou a me agredir”, disse.

Manoel, que trabalha como vendedor ambulante desde criança, afirma que esta foi a primeira situação de violência passada até hoje. “Nunca aconteceu isso comigo. Não conheço esse homem [agressor] e nunca o vi. Estou sem acreditar até agora”.

A vítima diz, ainda, que ninguém o ajudou durante o episódio de violência. Ele registrou boletim de ocorrência na quarta-feira (13). O caso foi registrado como injúria e ameaça.

A reportagem entrou em contato com a PM para saber se o agressor compõe o quadro de servidores da corporação e aguarda retorno.