Cidades

Vacinas contra a gripe H1N1 acabam em seis unidades de saúde de Goiânia

Secretaria Municipal de Saúde reforçou que nos outros 50 postos de imunização ainda há doses disponíveis para os grupos de risco


Amanda Sales

Do Mais Goiás | Em: 25/04/2018 às 15:45:39


Centro de Vacinação no Setor Pedro Ludovico é uma das unidades em que a vacina está em falta. (Foto: Anna Lúcia Almeida)
Centro de Vacinação no Setor Pedro Ludovico é uma das unidades em que a vacina está em falta. (Foto: Anna Lúcia Almeida)

Goianienses que buscaram a vacina contra a gripe H1N1 em seis unidades de saúde de Goiânia na manhã desta quarta-feira (25) foram informados que as doses haviam acabado. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), estão desabastecidos: Centro Municipal de Vacinação, no setor Pedro Ludovico, Cais Vila Nova, Centro de Saúde Esplanada do Anicuns e Centros de Saúde da Família Antônio Carlos Pires, Cachoeira Dourada e Crimeia Oeste.

No início do dia, conforme a SMS, havia 16 mil doses distribuídas entre as 56 unidades que oferecem imunização para os grupos de risco. Nos demais locais, segundo a pasta, a vacinação segue de modo normal.

A vacinação contra a gripe foi iniciada em Goiás dez dias antes do restante do país, por causa do aumento dos números de casos e de mortes pela doença. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o estado recebeu três remessas de vacina que totalizam 1.227.000 doses que já imunizaram o primeiro grupo de risco, formado por idosos, doentes crônicos e funcionários da saúde.

De acordo com a SES, na primeira remessa, 37% do total previsto foi recebido. Na segunda, a porcentagem chegou a 17% e na terceira 16%. Deste total que chegou ao estado, 83% foi distribuído pela secretaria para Goiânia e Região Metropolitana e 63% para as demais regiões.

A previsão de chegada de novas doses é no dia 3 de maio, contudo, a quantidade de doses ainda é desconhecida. A estimativa da pasta é que nesta remessa, 87 mil novas doses da vacina cheguem para Goiás. Contudo, o Ministério da Saúde não confirmou esse montante. No total, 1.593.000 pessoas compõe o grupo de risco em Goiás e, até o momento, idosos, profissionais da saúde e doentes crônicos já foram imunizados.

A SMS recomenda que as pessoas dos grupos prioritários aguardem a chegada das novas doses. Além disso, a pasta reforça que toda população deve continuar seguindo as medidas preventivas para evitar a contaminação pelos vírus que causam a gripe.