Saúde

Vacinação contra H1N1 em Goiânia imuniza 470 mil pessoas

Dados foram apresentados na manhã desta quinta-feira (27). Todos os grupos avançaram a meta estipulada pelo Ministério da Saúde


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 28/06/2018 às 17:21:03

Vacinação continua pela rede pública de saúde (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Vacinação continua pela rede pública de saúde (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Quatrocentos e setenta mil pessoas foram imunizadas contra vírus H1N1 em Goiânia, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Diante o resultado, todos os grupos prioritários ultrapassaram a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS) que era atingir 90%.

Conforme destaca a superintendente de Vigilância em Saúde da SMS, Flúvia Amorim, as gestantes atingiram 91%, crianças entre seis meses a cinco anos chegaram a 106%. As puérperas – mulheres que estão em fase de amamentação – atingiram 93%, idosos 127%, professores 134%, trabalhadores da saúde 133% e portadores de doenças crônicas chegaram à cobertura de 160%.

Sobre os números que ultrapassam a faixa dos 100%, Flúvia destaca dois motivos para tais resultados. “Em alguns grupo não temos um censo sobre quantos estão inseridos, como os professores. Já em outros, como os gestantes e idosos, conseguimos ter esse controle graças ao sistema de informação de nascidos e constatamos que pessoas de outros municípios e até de outros Estados se vacinaram aqui em Goiás”, destaca.

A vacinação no Estado começou no dia 13 de abril, após um alerta no estado depois da confirmação de cinco casos do vírus na Vila São Cottolengo, em Trindade. Diante as complicações, dois pacientes vieram a óbito. Por causa disso, o período de imunização foi antecipado, já que estava previsto para ser iniciado no dia 23 de abril em todo o país.

Logo no primeiro dia de vacinação, longas filas se formaram nas proximidades dos postos de vacinação com pessoas que chegaram nos lugares às 2 horas da manhã. “Sabemos que houve muita correria aos postos e a procura da vacina foi afetada até na rede particular. Mas consideramos o saldo positivo em relação à quantidade de vacinados”, comenta Fúlvia.

A superintendente destaca que não há mais doses e que não foi possível abrir a vacinação para as pessoas que estavam fora do grupo de risco. Apesar disso, Fúlvia destaca que, mesmo imunizados, as pessoas devem manter o cuidado com a higiene. “Apesar da vacinação proteger dos vírus do subtipos H1N1, H3N2 e Influenza B, sabemos que tem vários outros vírus que agravam a  Síndrome Respiratória Aguda Grave e que não têm vacinas para combatê-los. Por isso, a importância do cuidado com a higienização das mãos, para evitar a contaminação por esses vírus”, conta.

Nova Campanha

Apesar de ter sido considerada uma doença erradicada do Brasil, recentemente alguns casos de Sarampo e Poliomelite começaram a surgir no país, principalmente na Região Norte. Por causa disso, Flúvia destaca que uma nova campanha de vacinação será aberta para população entre os dias 6 a 24 de agosto.

“Não temos nenhum caso registrado em Goiânia, mas sabemos que venezuelanos estão cruzando a fronteira e muitos não estão vacinados e contaminados com a doença. Para evitar uma disseminação de casos entre pessoas não vacinadas, vamos iniciar uma campanha de imunização”, conta.

A superintendente lembra que é de extrema importância que o cidadão faça a verificação do cartão de vacina antes de viajar. Se o destino for dentro do país, é importante a pessoa verificar se está em dias com a vacina da febre amarela, disenteria, tétano e a tríplice viral – caxumba, sarampo e rubéola. Se a viagem for para fora do país, Flúvia lembra que é importante verificar se o destino escolhido não faz exigência sobre o certificado nacional de vacinação.