Imunização

Vacinação contra H1N1 começa com longas filas em postos de saúdes de Goiânia

Idosos, trabalhadores da saúde e portadores de doenças crônicas são os integrantes do primeiro grupo de risco a serem imunizados até o dia 20 de abril


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 13/04/2018 às 11:54:10

No Centro de Vacinação Municipal pessoas relataram que chegaram às 2 horas da manhã (Foto: João Paulo Alexandre/ Mais Goiás)
No Centro de Vacinação Municipal pessoas relataram que chegaram às 2 horas da manhã (Foto: João Paulo Alexandre/ Mais Goiás)

A vacinação contra o vírus H1N1, H3N2 e Influenza B começou nesta sexta-feira (13) em Goiás e muitas filas se formaram em vários postos de saúde da capital. No Centro de Vacinação Municipal, localizado no Setor Pedro Ludovico, a fila dava volta no quarteirão.

No local, diversas pessoas chegaram pela madrugada para garantir a imunização como fez a aposentada Suelmar Bastos, de 65 anos,  que chegou posto de vacinação às 2 horas da manhã. Segundo ela, a antecipação da vacina trouxe alívio. “Eu estarei mais tranquila daqui a 10 dias, que é  o prazo que a vacina faz efeito no organismo, mas só de ter essa vacina antecipada foi uma maravilha e eleva a sensação de segurança”, destaca.

Eurípedes Barbosa, de 75 anos, veio totalmente preparado para ser imunizado. Ele trouxe garrafa com água, cadeira e muita disposição  para não perder o primeiro dia de vacinação gratuita na capital. ” Nós (idosos) somos um grupo de imunidade baixa e o vírus está circulando, então temos que nos proteger. Eu não tinha como pagar essa vacina na rede particular, pois estava cara”, explica.

Fila deu a volta no quarteirão do centro de imunização do Setor Pedro Ludovico  (Foto: João Paulo Alexandre)

Atendimento

A diretora de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim, destaca que, no local, há 20 profissionais trabalhando na imunização das pessoas. Foram distribuídas primeiramente mil senhas para organizar o atendimento, e outras mil  serão distribuídas para garantir a imunização de todos. “A unidade funcionará até às 18 horas. Após esse horário, serão distribuídas senhas suficientes conforme o nosso estoque e voltaremos na segunda”, explica.

Flúvia ainda destaca que entende a preocupação da população, mas lembra que cada grupo tem um prazo para a sua imunização. “Sabemos que as pessoas estão assustadas, pelo fato de haver alguns óbitos confirmados, mas a vacinação não acontece só hoje. Os idosos, por exemplo, terão até o dia 20 para se vacinarem”, assevera.

A diretora explica que somente o fato de tomar a vacina, não tira o dever das pessoas manterem a higienização das mãos. “A vacina é a segurança, mas ela passa a fazer efeito em dez dias. Nesse prazo, corre risco da pessoa ficar doente mesmo vacinado. Por isso que a pessoa deve continuar com os hábitos de higienização”. ressalta.

A vacina pode apresentar vermelhidão no primeiro dia, conforme conta Flúvia, mas que nenhum outro efeito colateral de gravidade foi constatado durante as outras imunizações em Goiás e no Brasil.