Não entraram

Uma mulher e um homem são presos tentando entrar com celulares em presídios do interior

Os aparelhos seriam entregues a detentos de Goianira e Formosa; os dois foram presos


Bárbara Zaiden
Do Mais Goiás | Em: 24/05/2019 às 17:51:09

Em Formosa, foram encontrados outros seis celulares que seriam entregues a outros detentos (Foto: Divulgação | DGAP)
Em Formosa, foram encontrados outros seis celulares que seriam entregues a outros detentos (Foto: Divulgação | DGAP)

Na última quinta-feira (23) um homem e uma mulher foram presos. Os dois tentavam entrar com celulares e chips de operadoras telefônicas em dois presídios no interior.

O homem, que não teve o nome revelado, tentou entrar com dois celulares e chips de operadoras telefônicas na Unidade Prisional (UP) de Goianira. De acordo com o diretor da UP, Elvandro Gomes, os materiais foram encontrados em um fundo falso de uma vasilha de plástico.

O homem confessou que seriam entregues a um primo dele. Após a apreensão, ele foi conduzido ao hospital municipal para a fazer laudo médico. Posteriormente, foi encaminhado para a delegacia da cidade, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante.

O homem entregaria o celular ao primo dele (Foto: Divulgação)

Já em Formosa, a mulher, de 26 anos, que não teve o nome divulgado, tentava levar o aparelho para o esposo que está preso. Os policiais civis foram até a unidade, onde foi feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Ela está proibida de entrar novamente no presídio.

Os agentes penitenciários fizeram revistas em materiais que foram deixados para serem entregues a outros detentos de Formosa. Foram encontrados outros cinco celulares. Segundo o diretor da unidade, Herik Lima, foram instaurados procedimentos administrativos internos para descobrir a quem seriam entregues. Eles avaliam a possibilidade aplicar as devidas sanções penais aos responsáveis e aos possíveis destinatários.

A direção da unidade informa que aumentou o rigor nos procedimentos operacionais seguindo diretrizes governamentais estabelecidas pelo Governo do Estado, da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Segundo a unidade, as ações dos agentes nos últimos sete meses resultaram em 23 prisões de visitantes que tentavam entrar na unidade com objetos ilícitos.

A mulher entregaria os celulares ao esposo, que está preso