Do Mais Goiás

UFG diz que trabalha para “amenizar sofrimento” de pacientes com covid-19

"Nosso sistema de saúde aguentou a primeira onda, mas a segunda vem aí", alertou o presidente da Assembleia Lissauer Vieira, que também participou do encontro com prefeitos para debater a pandemia

UFG tem pesquisadores trabalhando para amenizar sofrimento da Covid, diz reitor
Reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira (Foto: divulgação/UFG)

O reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG) Edward Madureira declarou – durante a reunião do governador com prefeitos, parlamentares e sociedade civil para tratar a da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) – que a UFG está a disposição para auxiliar o governo. “Temos centenas de pesquisadores trabalhando para o conhecimento da doença e para amenizar esse sofrimento.”

Apesar disso, ele reconhece, como o secretário Ismael Alexandrino, que pode haver estrangulamento por falta de leitos e pessoal. “Temos visto que as pessoas têm se movimento de maneira desnecessária. O cansaço do isolamento tem levado a uma flexibilização”, lamentou, buscando uma justificativa, mas fazendo um apelo pela manutenção das regras sanitárias, a fim de evitar que o Estado seja acometido por crises vistas em outros locais, como em Manaus (AM).

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), que também participou defendeu a união e harmonia no combate à pandemia. “Muitos prefeitos estão assumindo agora. Temos que nos preocupar com empregos, mas a vida é prioridade. Não podemos virar notífica nacional, como Estado que colapsou a saúde”, disse.

Ele reforçou, ainda, que o que for decidido pelos prefeitos e autoridades sanitárias, será reiterado pela Assembleia. “Nosso sistema de saúde aguentou a primeira onda, mas a segunda vem aí”, alertou.