BABY SHARK

Tubarão é encontrado em criadouro clandestino de animais exóticos no DF

Local pode ter ligação com esquema de tráfico de animais e com caso de cobra Naja que picou estudante na última terça-feira


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 10/07/2020 às 22:31:40

A Polícia Civil do Distrito Federal localizou, na tarde desta sexta-feira (10), um tubarão em um criadouro clandestino de animais exóticos. (Foto: divulgação)
A Polícia Civil do Distrito Federal localizou, na tarde desta sexta-feira (10), um tubarão em um criadouro clandestino de animais exóticos. (Foto: divulgação)

A Polícia Civil do Distrito Federal localizou, na tarde desta sexta-feira (10), um tubarão em um criadouro clandestino de animais exóticos. Além do peixe, a corporação encontrou outros animais aquáticos, cobras e aves exóticas em uma casa em Vicente Pires, no DF. Local pode ter ligação com esquema de tráfico de animais e com caso de cobra Naja que picou estudante na última terça-feira (7).

O animal foi encontrado por policiais Delegacia Especial de Combate à Ocupação Irregular do Solo e aos Crimes Contra a ordem Urbanística e Meio Ambiente (Dema) após denúncia anônima. O tubarão estava em um aquário e o proprietário da residência não apresentou nenhum documento para a criação do peixe.

Conforme o especialista Rodrigo Barreto, do Instituto Chico Mendes de Itajaí (SC), disse ao G1, o animal pertence à espécie tubarão-lixa, que está ameaçada de extinção. Outros animais aquáticos, cobras e aves exóticas foram encontradas no mesmo local. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vão fazer a identificação das espécies.

Caso Naja

Na última terça-feira (10), um estudante de medicina veterinária, de 22 anos, foi picado por uma cobra do gênero Naja, no Gama, DF. Ele precisou ser submetido a sessões de hemodiálise, já que o veneno do animal atacou seus rins, e ficou em coma induzido.

A suspeita de investigadores da Dema é de que a serpente, comumente encontrada na África, no Sudoeste da Ásia, Sul da Ásia e Sudeste Asiático, tenha sido alvo de tráfico internacional de animais exóticos.

 *Com informações do G1