Disputa

Trump confirma ameaça e eleva tarifa sobre US$ 200 bi em produtos chineses

As tarifas passaram a vigorar a partir da 0h01 de Washington (1h01 de Brasília), apesar de negociadores americanos e chineses terem se encontrado nesta quinta. As conversas continuarão na manhã desta sexta em Washington


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 10/05/2019 às 09:08:36

(Foto: Isaac Santos/PR)
(Foto: Isaac Santos/PR)

O presidente dos EUA, Donald Trump, colocou em prática nesta sexta-feira (10) a elevação de tarifas de importação de 10% para 25% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, conforme ameaçara fazer no domingo (5), numa escalada da guerra comercial entre os países que se arrasta desde 2018.

As tarifas passaram a vigorar a partir da 0h01 de Washington (1h01 de Brasília), apesar de negociadores americanos e chineses terem se encontrado nesta quinta. As conversas continuarão na manhã desta sexta em Washington.

Em comunicado, o Ministério do Comércio da China disse lamentar que vá ter de retaliar a decisão americana -embora não tenha especificado quais medidas tomará.

Após as ameaças de Trump no fim de semana, o mercado financeiro reagiu mal -com fortes quedas nas Bolsas pelo mundo-, mas depois amenizou as perdas ao absorver a análise de que o presidente americano estava apenas fazendo uso de uma estratégia de negociação e não sinalizava uma ruptura de fato com a China.

Analistas nos EUA ainda acreditam que o acordo será fechado nos mesmos termos previstos, com respeito à propriedade intelectual, queda nas tarifas e lista negativa de investimentos na China -para empresas americanas atuarem em solo chinês.

A avaliação é que Trump concedeu um deadline muito curto -até esta sexta- para o fechamento de qualquer acordo mais alentado e agora, afirmam os especialistas, a alta da tarifa deve seguir temporariamente até que Washington e Pequim cheguem a um consenso.