Do Mais Goiás

Três pessoas são presas em Jataí após receberem drogas via Sedex

A quadrilha comercializava entorpecentes em festas da cidade. Criminosos compravam substâncias ilícitas de fornecedores de todo Brasil por correio

Nesta quarta-feira (13) o Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Jataí, cidade a 320 quilômetros de Goiânia, desarticulou uma quadrilha especializada em comercializar drogas sintéticas utilizando o serviço de encomenda expressa nacional (Sedex) dos Correios. Através do serviço, o grupo recebia as substâncias para fabricação de entorpecentes.

De acordo com o delegado que coordenou as investigações, Dannilo Proto, o chefe do grupo comprava a substância ilícita de fornecedores de todo Brasil, que enviavam o produto em envelopes lacrados. Após as investigações, o Genarc interceptou uma encomenda encaminhada via Sedex endereçada a M.O.S., 22 anos, o qual já havia recebido outras “correspondências” semelhantes.

“M.A.F. de 22 anos e M.O.S foram presos em Jataí. O chefe da quadrilha, L.S.O, 24 anos, foi detido na capital. Ele contava com colaboração de seus amigos criminosos e comercializava a droga em festas na cidade interiorana”, conta Proto.

Em vídeo divulgado pela Polícia Civil, um policial abre um dos envelopes apreendidos no Correios com autorização judicial. “Um envelope comum proveniente de outro estado, com nomes muitos comuns os quais jamais seriam identificados”, diz o policial. A embalagem continha 30g de MD, o princípio ativo do ecstasy.

Nota resposta

Os Correios informam que estão colaborando com a polícia e permanecem à disposição para fornecer todas as informações necessárias à investigação do caso. A empresa alega realizar esforço para combater o envio e recebimento de ilícitos nas remessas postais. “Para tanto, a fiscalização de pacotes e envelopes é realizada diariamente por meio, principalmente, de equipamentos de raio-x. Sempre que há suspeita de algo irregular, o objeto é retido e os órgãos competentes são acionados para a abertura do pacote e tomada de providências cabíveis”.