Saúde

Três hospitais vão atender casos de zika e microcefalia

O HDT, que é referência no tratamento de doenças infecciosas, oferecerá apoio em diagnóstico às duas outras unidades.




A Secretaria da Saúde traça estratégia para atender gestantes com suspeita de zika ou outras doenças exantemáticas (que causam manchas vermelhas na pele) e recém-nascidos com microcefalia em Goiás.

A Secretaria definiu um fluxo de atendimento a esses pacientes, do qual fazem parte: o Hospital de Doenças Tropicais (HDT), o Hospital Materno Infantil (HMI) e o Centro de Reabilitação e Readaptação Henrique Santillo (Crer). O HDT, que é referência no tratamento de doenças infecciosas, oferecerá apoio em diagnóstico às duas outras unidades.

Segundo o fluxo, mulheres grávidas em qualquer idade gestacional que apresentarem sintomas de zika ou qualquer outra doença exantemática devem ser encaminhadas para a realização de exames específicos. Todos os casos suspeitos deverão ser obrigatoriamente notificados; e caso sejam diagnosticadas alterações, a gestante deve ser encaminhada para o pré-natal de Alto Risco no Hospital Materno Infantil.

Bebês com microcefalia
Os casos de recém-nascidos diagnosticados com microcefalia deverão ser imediatamente notificados. A criança deverá ser encaminhada para a realização de exames específicos e acompanhamento no Crer.

O Centro de Reabilitação e Readaptação Henrique Santillo oferecerá tratamento aos bebês, tanto do interior quanto da capital, nas áreas de Fisiatria, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Neuropediatria e Pediatria. Na unidade, eles terão também atendimento multiprofissional, incluindo estimulação precoce visual, motora, cognitiva e auditiva; fisioterapia e fonoaudiologia. O Crer oferecerá ainda apoio psicológico às famílias.

Tópicos