Polícia

Travestis que extorquiam clientes em Goiânia são presos no Distrito Federal

Duas vítimas da quadrilha já procuraram a polícia e relataram terem sido espancadas e obrigadas a fazer transferências eletrônicas em um quarto de hotel no Centro


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 20/08/2019 às 11:57:11

Duas vítimas da quadrilha já procuraram a polícia e relataram terem sido espancadas e obrigadas a fazer transferências eletrônicas em um quarto de hotel no Centro
Duas vítimas da quadrilha já procuraram a polícia e relataram terem sido espancadas e obrigadas a fazer transferências eletrônicas em um quarto de hotel no Centro

Pelo menos sete pessoas teriam sido vítimas, em Goiânia, de uma quadrilha composta por duas travestis e dois homens que estão presos desde junho passado no Distrito Federal. Um quinto suspeito de integrar a organização criminosa foi preso na semana passada na Espanha, e aguarda ser extraditado para o Brasil.

Em abril e maio passado, dois homens procuraram o 1º Distrito Policial de Goiânia, e denunciaram terem sido extorquidos por travestis em um mesmo hotel no Setor Central. Uma das vítimas relatou ter sido obrigado a fazer uma transferência R$ de R$ 14. 500 após ser duramente espancado, e outro contou ter ficado sem R$ 5.500.

“As vítimas nos relataram que logo quando chegaram no quarto com a travesti foram surpreendidos por outros dois ou três homens que estavam escondidos no banheiro, e após serem enforcados, e agredidos com chutes e socos, tiveram os aparelhos de telefone celular tomados, e foram obrigados a fazer transferências eletrônicas para a quadrilha. Até agora duas vítimas já registraram ocorrência aqui, mas nós sabemos que pelo menos mais cinco pessoas também foram vítimas dessa quadrilha”, relatou o delegado Paulo Ribeiro, adjunto do 1º DP.

Em 25 de maio passado, Yago Pereira, a “Anita”, Eduardo Souza Luz, a “Stephany”, Marcelo Dias Moreira, e Eduardo Souza Luz foram presos pela polícia do Distrito Federal suspeitos de praticar crimes semelhantes em Brasília. “Lá em Brasília a quadrilha também entrava no hotel antes da travesti e do acompanhante, só que, ao invés de agredirem os clientes, filmavam escondido o que acontecia no quarto, e depois exigiam dinheiro para que não enviassem as filmagens para familiares e amigos”, pontuou Paulo Ribeiro.

Identificado pelas polícias do Distrito Federal e de Goiás, Paulo Rogério Marques Vasconcelos, que também integra a quadrilha, foi preso na semana passada na Espanha. De acordo com a investigação conduzida pelo 1º DP de Goiânia, Anita, Stephany e Samuel participaram das duas extorsões registradas naquela distrital, enquanto que Marcelo Dias e Paulo Rogério estiveram presentes em pelo menos um dos casos.

Apesar de já estarem presos no Distrito Federal, os quatro suspeitos também tiveram suas prisões preventivas decretadas pela Justiça de Goiás. Rogério Marques também teve a prisão decretada, mas como a primeira solicitação foi feita pela Justiça do Distrito Federal, quando for extraditado ele será encaminhado para o Presídio da Papuda, em Brasília. Tanto no Distrito Federal como em Goiás, os cinco suspeitos responderão por extorsão, e associação criminosa.