Cidades

Traficante que escapou de atentado é executado em Aparecida de Goiânia

Murillo Moraes Lobo foi alvejado quando desceu de seu veículo na porta de uma distribuidora de bebidas


Thais Lobo

Do Mais Goiás | Em: 17/12/2018 às 08:43:49


Murillo Moraes Lobo escapou de um atentado a tiros em julho | Foto: Reprodução
Murillo Moraes Lobo escapou de um atentado a tiros em julho | Foto: Reprodução

Um homem de 33 anos, que era monitorado por tornozeleira eletrônica, foi executado a tiros na noite da última sexta-feira (14), na Avenida Rudá, em Aparecida de Goiânia. Em julho passado, Murillo Moraes Lobo escapou de um atentado a tiros que deixou morto um advogado que estava com ele dentro de um veículo na Avenida Perimetral Norte, em Goiânia.

De acordo com a ocorrência registrada pela Polícia Militar, Murillo estava em um veículo Santa Fé de cor preta, quando chegou sozinho em uma distribuidora de bebidas que fica no Jardim Progresso. Logo que desceu do carro, outro veículo encostou do lado dele e o motorista efetuou mais de sete disparos com uma pistola calibre 380. O atirador, que estava sozinho em um carro branco, fugiu sem ser identificado.

Condenado por tráfico de drogas, Murillo escapou de um atentado a tiros no dia 17 de julho. Na ocasião, o carro em que ele estava como passageiro junto com o advogado criminalista Sérgio Breze Prates, de 44 anos, foi fechado em um posto perto do viaduto da GO-080 com a Perimetral, no Setor São Judas Tadeu. Foram desferidos mais de 10 disparos de pistolas de calibres 380 e nove milímetros. Os tiros foram disparados por pelo menos três homens que estavam em um veículo de luxo.

Atingido com três disparos, o advogado morreu antes da chegada dos Bombeiros, enquanto que Murillo, que foi baleado duas vezes, foi encaminhado para o Hugol e sobreviveu. No dia do crime, socorristas contaram para os policiais que quando chegaram no local perceberam que Murillo, mesmo ferido, estava queimando papéis e destruindo um aparelho de telefone celular.

O assassinato do traficante começa a ser apurado nesta segunda-feira (17), pelo Grupo de Investigações de Homicídios (GIH), de Aparecida de Goiânia.