Cidades

Torcedores interrompem festa e agridem homem com paulada na cabeça em Goiânia

De acordo com testemunha, rapaz estava em uma celebração de aniversário quando cerca de 20 pessoas, armadas com pedaços de madeira, ameaçavam torcedores do Vila Nova, que estavam dentro de uma residência


Hugo Oliveira

Do Mais Goiás | Em: 12/11/2018 às 11:58:08


De acordo com testemunha, que levou a vítima para o hospital, rapaz atingido não gosta de futebol (Foto: leitor/Mais Goiás)
De acordo com testemunha, que levou a vítima para o hospital, rapaz atingido não gosta de futebol (Foto: leitor/Mais Goiás)

Um rapaz de 19 anos foi agredido com uma paulada na parte de trás da cabeça após membros de uma torcida organizada do Goiás Esporte Clube chegarem a uma festa de aniversário no Residencial Senador Paranhos, região Leste de Goiânia, na noite de domingo (11). Com hematomas no rosto e no corpo, a vítima, identificada apenas como Célio, mecânico automotivo, foi encaminhado – por uma pessoa que participava da celebração – ao Cais Amendoeiras.

Boletim médico emitido pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), afirma que o paciente foi atendido pela equipe da unidade e foi encaminhado para o Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer), para realização de uma tomografia. Nesta segunda-feira (12), Célio realiza exames de Raio X e seguirá em observação.

Na Polícia Civil (PC), o caso, que será apurado pelo 14° Distrito Policial de Goiânia, é tratado como “briga de rapazes”, a qual teria tido início dentro de uma casa e que depois seguiu para uma praça, onde algumas pessoas estavam ensanguentadas. “Rapaz estava dentro da residência com camisa do Vila Nova quando passou a ser agredido”. Porém, relatos de testemunha contradizem a informação recebida pela corporação.

O Mais Goiás aguarda manifestação do Goiás Esporte Clube sobre o ocorrido.

O caso

De acordo com o responsável por conduzir a vítima à unidade de saúde, um dos convidados do aniversário e que pediu para ter o nome preservado, a confusão começou depois que torcedores do referido clube futebolístico chegaram, à casa. “Eram cerca de 20 pessoas, todos com paus e tacos, o número deles era superior á quantidade de convidados, que eram famílias. Viram que algumas pessoas lá dentro estavam com camisas do Vila Nova, assim como eu, e foram tirar satisfação”, relata.

Ele afirma que, ao perceber a movimentação na rua, a filha da proprietária da residência saiu para saber do que se tratava e quase foi agredida. “Os torcedores estavam reunidos na porta e quando ela saiu, quase foi agredida. Para evitar que algo acontecesse, o Célio, com a intensão de afastá-la dos agressores, passou à frente dela e acabou recebendo uma paulada, por trás, na cabeça”.

Nesse momento, o condutor ressalta que colocou o jovem no seu carro e juntos seguiram para o Cais Amendoeiras. “Ele foi atendido, depois fomos ao Crer fazer exames e levei ele de volta. Fui chegar em casa por volta das 4h. Fato lamentável, o rapaz nem gosta de futebol. Era uma casa particular, aniversário do filho dos donos. Fizemos uma surpresa, com carne e bolo. Estávamos curtindo o momento com as famílias quando tudo ocorreu”.

Novembro

O caso de Célio é o segundo a ocorrer este mês. Na última sexta-feira (8), um torcedor do Vila Nova, espancado por três homens no último dia 2/11, morreu no Hospital de Urgências de Goiânia. A vítima, que tinha 17 anos, foi agredida com socos e pauladas após o jogo com o Paysandu Sporte Clube.