TJ-GO anula convenção que elegeu Daniel Vilela como presidente do MDB e partido recorre

Até que o caso seja julgado em segunda instância, o resultado da eleição será mantido, devido ao recurso com efeito suspensivo


Bárbara Zaiden
Do Mais Goiás | Em: 03/05/2019 às 14:59:08

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), determinou a anulação da convenção do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) que elegeu Daniel Vilela como presidente regional da sigla. A decisão foi dada na última quinta-feira (2) e, nesta sexta-feira (3), o partido entrou com recurso.

Até que o caso seja julgado em segunda instância, o resultado da eleição será mantido, devido ao recurso com efeito suspensivo. A decisão é do juiz Sandro Fagundes. As eleições do MDB aconteceram em janeiro deste ano.

O imbróglio do partido em Goiás se arrasta desde o início do ano e é marcado por um racha interno na sigla, entre Daniel Vilela e o prefeito de Catalão, Adib Elias, que recentemente foi expulso do partido por infidelidade partidária. Adib apoiou o atual governador Ronaldo Caiado (DEM), que foi adversário de Vilela nas eleições de 2018.

Ainda em janeiro, o prefeito entrou com o pedido de anulação do pleito. Ele argumenta que o edital de convocação foi divulgado sem prazo hábil para apresentação de uma chapa concorrente. À época, o mesmo juiz, Sandro Fagundes, determinou a suspensão da convecção. Mas a liminar foi suspensa pela desembargadora Nelma Perilo, que entendeu que os prazos eram todos legais.

“Trata-se de uma decisão da primeira instância baseada nos mesmos argumentos apresentados em janeiro, que foram derrubados pelo TJ-GO. Então temos total tranquilidade de que o Judiciário vai manter o resultado da eleição, que seguiu à risca o estatuto partidário”, afirma Daniel Vilela.

Nas redes sociais, Adib comentou a decisão. “Sempre confiei na justiça. O que tem que prevalecer é a vontade da maioria do partido, que foi impedida de participar da convenção por manobras obscuras e ilegítimas. Faço das perseguições e das lutas, uma oportunidade para aprender e perseverar. O autoritarismo não vence a justiça e muito menos a história vasta e sólida que eu e tantos outros companheiros escrevemos no MDB”, disse.

Decisão

O juiz Sandro aponta, na última decisão, que não foi enviada notificação pessoal aos membros do partido com direito a voto, no prazo de oito dias antes da convenção. O MDB explica que em outubro o MDB já havia definido que a eleição seria realizada em janeiro. “Todos os dirigentes partidários daquela época, incluindo Adib Elias, foram convocados para a reunião. Ele não compareceu e não justificou a ausência”, afirma, em nota oficial.

Apoio sem retorno?

Daniel acusa Adib de tentar manobras para conseguir cargos no Governo Estadual devido ao apoio que deu a Ronaldo Caiado durante as eleições para governador. “Depois de dizer que seria uma espécie de primeiro-ministro de Goiás, ele se viu diminuído politicamente ao ser desprestigiado pelo governador e tenta se escorar no MDB para resolver suas questões pessoais”, conclui.