Terrorismo

Tiroteio de Copenhague foi ato terrorista, diz premiê dinamarquesa

Um homem morreu no ataque contra o centro cultural




O ataque contra um centro cultural em Copenhague, onde se debatia sobre o islamismo e a liberdade de expressão, foi um ato terrorista, afirmou neste sábado a primeira-ministra dinamarquesa Helle Thorning-Schmidt. “Tudo indica que o tiroteio foi um ato político e portanto um ato terrorista”, declarou em um comunicado.

Um homem ainda não identificado morreu no ataque neste sábado em Copenhague contra um prédio onde era realizado o debate. Três policiais ficaram feridos na tentativa de proteger o lugar. A polícia informou que os dois atiradores conseguiram fugir em um veículo, e divulgaram a placa do automóvel.

No debate se encontrava o embaixador da França François Zimeray, que saiu ileso no ataque. Ele acompanha o autor das charges do profeta Maomé, o cartunista Lars Vilks. O ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius, condenou com o maior rigor o que também chamou de ataque terrorista.

Tópicos