Violência

Tio suspeito de estuprar e engravidar sobrinha de 10 anos é preso

Em nota, a corporação afirmou que o suspeito, que estava foragido, foi encontrado na Região Metropolitana de Belo Horizonte


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 18/08/2020 às 08:55:52

(Foto: Weimer Carvalho)
(Foto: Weimer Carvalho)

A Polícia Civil do Espírito Santo prendeu na madrugada de hoje o homem suspeito de estuprar e engravidar a sobrinha de 10 anos em São Mateus, no interior do estado. A criança realizou o aborto legal no domingo (16).

Em nota, a corporação afirmou que o suspeito, que estava foragido, foi encontrado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mais informações serão divulgadas posteriormente em uma coletiva de imprensa com horário a ser definido.

“A equipe da Polícia Civil de São Mateus confirmou a prisão do suspeito de estupro da menina de 10 anos, realizada na madrugada desta terça-feira, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. A equipe está em deslocamento para o Espírito Santo”, diz a nota.

Mais cedo, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), já havia anunciado por meio de suas redes sociais a prisão do suspeito.

“A nossa polícia efetuou, nesta madrugada, a prisão do estuprador da menina violentada no no interior do ES. Que sirva de lição para quem insiste em praticar um crime brutal, cruel e inaceitável dessa natureza. Detalhes da operação serão repassados pela equipe segurança ainda hoje”, escreveu o governador no Twitter.

Menina fez aborto em outro estado

A menina violentada recorreu à Justiça, que a autorizou a fazer o aborto. No entanto, a unidade de saúde indicada para fazer o procedimento, o Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), em Vitória, recusou-se a fazer o aborto alegando que a menina não se encaixava nos critérios do Ministério da Saúde.

A vítima, então, foi encaminhada a outra unidade, o Cisam (Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros), em Recife, para fazer o aborto.

O local foi palco de protestos de grupos contrários e favoráveis ao aborto após a militante de direita Sara Giromini —conhecida como Sara Winter— expor que a menina estava lá.

O aborto foi feito na noite de domingo (16) e ontem a menina passou por uma curetagem para retirada de restos placentários do útero. A vítima passa bem e está acompanhada da avó e de uma assistente social.