Serial Killer

Tiago Henrique será julgado pela morte de morador de rua nesta terça-feira

O vigilante já soma penas de 404 anos de prisão




O vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha vai ser julgado mais uma vez nesta terça-feira (18), pelo assassinato do morador de rua Paulo Sérgio Xavier de Bastos, de 44 anos. A sessão começa às 8h30, presidida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara.

Segundo denúncia do Ministério Público de Goiás (MPGO), o crime ocorreu por volta das 4 horas do dia 5 de novembro de 2012, em um ponto de ônibus da Praça Cívica, próximo à Avenida Araguaia, Setor Central. O assassino teria chegado de moto, efetuado um disparo na cabeça da vítima e fugido em seguida.

Ao proferir a decisão de pronúncia, em 15 de setembro de 2015, Jesseir de Alcântara destacou que, embora Tiago Henrique tenha permanecido em silêncio em juízo e, na presença de sua advogada, ter afirmado não se recordar se foi o autor do crime, ele confessou ter matado outros dois moradores de rua. O magistrado também ressaltou o laudo de confronto microbalístico que confirmou que o projétil encontrado no corpo de Paulo Sérgio saiu da mesma arma que matou os dois moradores de rua que Tiago Henrique confessou ter assassinado.

Durante a audiência de instrução criminal, realizada no dia 17 de agosto de 2015, a delegada Flávia Santos Andrade contou que o vigilante havia confessado a autoria de alguns homicídios para “aumentar o ranking de mortes”. De acordo com a policial, depois de ser preso, Tiago Henrique confessou vários crimes no primeiro interrogatório, mas depois voltou atrás.

Ela disse que a investigação da morte de Paulo Sérgio levou em consideração o exame de microconfronto balístico de cinco homicídios, que detectou ter saído da mesma arma a bala que matou as vítimas. Além disso, a semelhança na forma de atuação do suspeito é muito parecida. A policial afirmou também que o vigilante se reconheceu em imagens de vídeo de alguns dos crimes.

O delegado Matheus Costa Melo informou que assumiu a presidência do inquérito que investigou o assassinato do morador de rua em janeiro de 2015 ano e que apenas o complementou. Afirmou que analisou imagens e laudos para comprovar a autoria do crime. Para chegar à conclusão de que Tiago Henrique tenha executado o morador de rua, levou em consideração o laudo balístico e a forma com que ele agia, bem como as características da motocicleta que usava.

Tiago Henrique já foi condenado a 403 anos e 10 meses de prisão por 16 homicídios, um roubo a agência lotérica e por porte ilegal de arma.