array(2) { ["pos-1"]=> object(WP_Post)#6937 (24) { ["ID"]=> int(276535) ["post_author"]=> string(2) "26" ["post_date"]=> string(19) "2020-07-11 16:08:28" ["post_date_gmt"]=> string(19) "2020-07-11 19:08:28" ["post_content"]=> string(2601) "Dois homens, um deles vigilante que atuava na Universidade Federal de Goiás (UFG), foram presos em flagrante por tráfico de drogas no Jardim Novo Mundo, região Leste da capital. O caso ocorreu na noite de sexta-feira (10). Segundo registro da Polícia Militar, eles estavam com um total de 4 quilos de drogas, entre cocaína, crack, skunk, ecstasy e maconha, além de pistolas e um kit que permite converter as armas em submetralhadoras. Na ocasião, o vigilante teria confessado que vendia entorpecentes em seu local de trabalho, além de tentar usar a profissão para se desvencilhar da abordagem. Policiais das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) patrulhavam o bairro quando suspeitaram de um homem que ocupava um Uno de cor branca. O rapaz estava com duas porções de cocaína e teria afirmado que fazia vendas de entorpecentes na UFG. Na busca veicular, duas pistolas 9mm - uma delas com kit rajada -, porção de crack e cerca de R$ 900 em dinheiro foram encontrados em um compartimento secreto. L.B.D.S teria então confessado que havia mais drogas em sua casa, no Residencial Flor do Ipê 1. No local, policiais apreenderam mais uma porção de cocaína e R$ 1 em espécie. Na sequência, a equipe se dirigiu com o vigilante para outro endereço, onde ele teria feito uma entrega de entorpecentes. Na casa, que fica no Bairro Santo Hilário, localizaram uma mochila preta com skunk, crack, cocaína, balança de precisão e plástico para embalagem. No total foram apreendidos cerca de 2 quilos de cocaína, 500 gramas de crack, 500 gramas de skunk, 40 comprimidos de ecstasy, 1 quilo de maconha, duas armas de fogo, balança de precisão, materiais para embalagem e o Fiat Uno. Os suspeitos foram encaminhados à Central Geral de Flagrantes, da Polícia Civil.

UFG

Segundo o secretário de Promoção da Segurança de Direitos Humanos da UFG, Ricardo Barbosa, o vigilante compõe equipe da empresa terceirizada Gardiã e estava lotado no Campus Samambaia no período noturno. Conforme explica Barbosa, a universidade não faz parte da seleção e recrutamento de pessoal, função cumprida exclusivamente pela referida companhia de segurança. "A universidade não está funcionando no horário que ele trabalhava, então, ele não se encontrava com a comunidade acadêmica.  Vamos contatar a empresa para que os devidos procedimentos administrativos sejam adotados". O Mais Goiás tenta contato com a Guardiã." ["post_title"]=> string(81) "Vigilante que atuava na UFG é preso com drogas, armas e kit rajada no Novo Mundo" ["post_excerpt"]=> string(0) "" ["post_status"]=> string(7) "publish" ["comment_status"]=> string(6) "closed" ["ping_status"]=> string(4) "open" ["post_password"]=> string(0) "" ["post_name"]=> string(79) "vigilante-que-atuava-na-ufg-e-preso-com-drogas-armas-e-kit-rajada-no-novo-mundo" ["to_ping"]=> string(0) "" ["pinged"]=> string(0) "" ["post_modified"]=> string(19) "2020-07-12 16:12:34" ["post_modified_gmt"]=> string(19) "2020-07-12 19:12:34" ["post_content_filtered"]=> string(0) "" ["post_parent"]=> int(0) ["guid"]=> string(39) "https://www.emaisgoias.com.br/?p=276535" ["menu_order"]=> int(0) ["post_type"]=> string(4) "post" ["post_mime_type"]=> string(0) "" ["comment_count"]=> string(1) "0" ["filter"]=> string(3) "raw" } ["pos-2"]=> object(WP_Post)#7097 (24) { ["ID"]=> int(276603) ["post_author"]=> string(2) "48" ["post_date"]=> string(19) "2020-07-12 10:46:52" ["post_date_gmt"]=> string(19) "2020-07-12 13:46:52" ["post_content"]=> string(3992) "Goiás, sete estados e o Distrito Federal apresentam uma tendência de alta nos números diários de mortes registradas pelo novo coronavírus na última quinzena. Apesar disso, a pandemia de Covid-19 no Brasil se mantém estável, devido as diferenças de cada região. Em queda da mortalidade, por exemplo, há sete unidades federativas e outras 11 estão estáveis. É o que indica o painel de dados que O GLOBO criou para monitorar o cenário da doença no país. Para acompanhar a tendência, o número de mortes é apresentado na forma de "média móvel de 7 dias", que atribui a cada ponto da série de dados uma média entre o número verificado no próprio dia e os números dos seis dias anteriores. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o "ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão. Os números usados no painel são aqueles compilados pelo consórcio de veículos de imprensa que monitoram as estatísticas da Covid-19 no Brasil, formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de São Paulo.

Curva ascendente de Covid-19

De acordo com o painel atualizado neste sábado, oito estados e o Distrito Federal apresentam um avanço da doença e têm uma elevação acima de 15% nas últimas semanas; eles se concentram nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país. São eles: Distrito Federal, Mato Grosso, Tocantins, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Mesmo que a média de mortes desses estados não passe de cem por dia, a curva de óbitos de cada um ainda é preocupante, já que a tendência é de um avanço da pandemia na região. Sete estados apresentam uma tendência de queda, ou seja, com redução maior que 15% da média diária de mortes nas últimas duas semanas. São eles: Acre, Rondônia, Amapá, Pará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Rio de Janeiro. As outras onze unidades federativas estão em patamar relativo de estabilidade, com variação menor que 15% para cima ou para baixo. São: Roraima, Amazonas, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo e São Paulo. O período de uma quinzena é adotado como critério para observar mudanças, buscando enxergar uma variação minimamente consistente, menos sujeita a flutuações mais breves.

Precisão x atualidade

Os dados de morte por Covid-19 são adotados preferencialmente aos de casos não letais no painel do GLOBO porque são menos sujeitos a subnotificação. Isso ocorre porque um caso da doença que é grave o suficiente para matar uma pessoa é menos propenso a ficar sem diagnóstico do que um caso mais leve. Os dados de morte, porém, não revelam um cenário recente da tendência de contágio, pois uma pessoa que contrai Covid-19 leva tipicamente uma semana para manifestar de sintomas e mais duas para ter um desfecho, no caso de óbito. Além disso, estados brasileiros têm demorado até um mês para consolidar registros de mortes.
Como forma de exibir um cenário mais recente, o painel do GLOBO oferece uma chave que troca a visualização de mortes por Covid-19 para a de casos da doença, incluindo os não letais. O recurso pode ser útil para indicar uma tendência mais fresca da epidemia, ainda que requeria uma interpretação mais crítica, pois depende da capacidade dos estados de testar pacientes com sintomas no espectro mais leve da doença. O painel inclui ainda os dados nacionais de Covid-19 no Brasil, que já vinham sendo exibidos em outras ferramentas do GLOBO. https://www.emaisgoias.com.br/brasil-tem-1-842-127-casos-de-covid-19-aponta-consorcio-de-veiculos-da-imprensa/
" ["post_title"]=> string(78) "Goiás é um dos estados que tem tendência de aumento nas mortes por Covid-19" ["post_excerpt"]=> string(0) "" ["post_status"]=> string(7) "publish" ["comment_status"]=> string(6) "closed" ["ping_status"]=> string(4) "open" ["post_password"]=> string(0) "" ["post_name"]=> string(75) "goias-e-um-dos-estados-que-tem-tendencia-de-aumento-nas-mortes-por-covid-19" ["to_ping"]=> string(0) "" ["pinged"]=> string(0) "" ["post_modified"]=> string(19) "2020-07-12 15:51:05" ["post_modified_gmt"]=> string(19) "2020-07-12 18:51:05" ["post_content_filtered"]=> string(0) "" ["post_parent"]=> int(0) ["guid"]=> string(39) "https://www.emaisgoias.com.br/?p=276603" ["menu_order"]=> int(0) ["post_type"]=> string(4) "post" ["post_mime_type"]=> string(0) "" ["comment_count"]=> string(1) "0" ["filter"]=> string(3) "raw" } } string(7) "jonatas"