Brasil Central

Thiago Peixoto considera que bloco do Brasil Central já apresentou resultados

Titular da Segplan afirma que assinatura de termo de cooperação entre os governadores de cinco estados e do DF efetiva a consolidação do Movimento Brasil Central

Goiás




//

O Brasil Central já pode ser considerado efetiva e formalmente como um bloco de cooperação. A analise é do secretário de Gestão e Planejamento de Goiás, Thiago Peixoto, após a assinatura, na última sexta-feira (7/8), em Cuiabá (MT), de um documento entre os governadores de Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia. Para ele, que participa das ações e
discussões do Movimento Brasil Central (MBrC) desde o início, esse é um dos principais resultados do 2º Encontro dos Governadores do Brasil Central.

“Trouxemos na mala, de Cuiabá, além do termo de cooperação assinado, a definição de consórcio como a forma operacional que integrará os estados do bloco. Já temos resultados concretos a apresentar. Mas não podemos parar por aqui, temos muito por fazer até a próxima reunião, em Palmas (TO), em 11 de setembro”, explica o secretário, que é deputado federal licenciado (PSD).

Além da formatação da estrutura do consórcio, que terá sede física em Brasília, Thiago Peixoto entende que é urgente a definição de um mecanismo de captação de recursos para o bloco. “A nossa ideia não é apenas criar apenas mais um bloco político que tenha mais força para cobrar recursos do governo federal. Nossa proposta é criar um instrumento de captação de investimentos por conta própria. Temos potencial e necessidades regionais e precisamos buscar alternativas nesse momento de crise”, destacou.

Thiago Peixoto defende, no âmbito do consórcio, a criação da Agência de Desenvolvimento Regional do Brasil Central. “Ela funcionaria como uma ferramenta para a captação de recursos, especialmente externos, para financiamento de projetos de integração regional entre Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia. Temos muitos pontos em comum, muitos atrativos e potencialidades e precisamos atuar em conjunto para financiar nossos projetos”, destacou.

O secretário ressaltou que uma base de dados regionais já está sendo elaborada pelas equipes técnicas dos cinco estados e do DF. Um modelo de site, inclusive, já está sendo preparado por representantes de Brasília como forma de divulgação de dados integrados da região. “É muito importante sentir que as coisas estão acontecendo e os resultados estão aparecendo em tão pouco tempo. Hoje já temos um sentimento de que o Brasil Central existe não apenas em intenção, mas de fato”, avaliou Thiago Peixoto.

Demonstração de força veio do evento em Cuiabá, do qual participaram representantes dos governos dos cinco estados e do DF, além dos governadores Marconi Perillo, de Goiás, Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), e Rondônia, Confúcio Moura (PMDB). Os presidentes de todos os legislativos também estiveram presentes.

“Estamos construindo uma pauta e uma agenda positivas a partir da região central do Brasil. Sabemos que esse é um momento de crise e precisamos dar uma sinalização de que o caminho passa pela união, como essa demonstrada pelos governadores do Brasil Central”, avaliou o governador Marconi Perillo. O ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Roberto Mangabeira Unger, também esteve presente e destacou que o MBrC serve de exemplo para o restante do país. “O que vocês estão fazendo aqui é histórico. Isso mostra todo o vanguardismo do Brasil Central”, disse.

Protagonismo
A ideia da realização do Fórum dos Governadores, que resultou no surgimento do Movimento Brasil Central, surgiu após uma provocação Mangabeira Unger, em junho em Goiânia, que incentivou o governador Marconi Perillo a liderar um movimento regional em prol do desenvolvimento. “O governador aceitou esse desafio e está liderando esse movimento que integra o Brasil Central”, explicou Thiago. A primeira edição do encontro foi em Goiânia, no início de julho.

Antes disso, no final de 2014, Thiago Peixoto e Mangabeira Unger já tinham descoberto pensamentos comuns durante encontro em Harvard, onde o filósofo e pensador social é professor. “A gente conversou bastante e descobriu que tinhamos a ideia em comum de construção de uma agenda de desenvolvimento regional a partir de Goiás e do Centro-Oeste. Agora, na Segplan, tenho a oportunidade de participar da elaboração deste projeto tão importante”, acrescenta o secretário.

A agenda do Movimento Brasil Central, que já teve os Fóruns dos Governadores em Goiás (Goiânia), em julho, e Mato Grosso (Cuiabá), em agosto, estabelece realização de um encontro a cada mês até o fim do ano. Já estão programadas novas edições em Tocantins (setembro), Mato Grosso do Sul (outubro), Distrito Federal (novembro) e possivelmente em Rondônia (dezembro).