Terminal provisório substituirá Isidória, que será reconstruído para atender BRT

Obras do novo terminal serão concluídas no sábado (17), de acordo com Dolzonan Mattos, secretário da Seinfra; espaço para atendimento provisório de passageiros também fica no setor Pedro Ludovico


Larissa Lopes
Do Mais Goiás | Em: 16/08/2019 às 18:35:35

Foto: Paulo José/Secom
Foto: Paulo José/Secom

O terminal Isidória será reconstruído em breve. O motivo é porque p local também vai atender os ônibus do BRT (Bus Rapid Transit). A previsão é que o serviço comece a partir de outubro de 2020. Enquanto o Isidória estiver em obra, um terminal provisório, qeu também fica no setor Pedro Ludovico, vai atender às demandas. O novo local fica pronto no sábado (17), de acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos de Goiânia (Seinfra).

A previsão é de que as obras do terminal Isidória fiquem prontas em 12 meses. “A contagem começa quando a mudança para o provisório ocorrer”, diz o secretário. Contudo, o terminal provisório será entregue inacabado. “Ele será entregue como um prédio, onde os apartamentos não estão completamente acabados”, justifica o titular da pasta, Dolzonan Mattos. Quando deixar de operar como ponto de embarque e desembarque de passageiros, o terminal provisório será usado como ponto de comércio.

O novo local fica a cerca de 500 metros do Isidória, sentido Jardim Botânico, na Alameda João Elias da Silva Caldas. Questionado se os usuários já sabem da mudança, o secretário afirma que a imprensa já divulgou o assunto massivamente. Mas disse que não sabe se há cartazes no Isidória que orientem o público sobre o novo lugar.

As linhas do transporte coletivo serão remanejadas para o novo local após sinalização positiva da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Em nota, a empresa informa que espera começar a operação em 15 dias após a entrega da obra pela Seinfra.

“A estimativa é feita para o desenvolvimento de outras etapas que precisam ser executadas no terminal. Parte das ações é de responsabilidade da Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) e outra do consórcio RedeMob”, explica a CMTC.

A nota da companhia diz, ainda, que falta instalar catracas, sistema de bilhetagem, equipamentos de segurança e de comunicação interna com o usuário (sistema para rádio e TV). “Com esses últimos acertos a operação poderá ser transferida”, informa o diretor Técnico da CMTC, Murilo Ulhôa.

Estrutura

De acordo com a CMTC o novo terminal tem 160 metros de comprimento e oito de cobertura. O local terá capacidade para receber dez ônibus simultaneamente.

“Temos neste terminal (Isidória) 19 linhas e 64 mil passageiros diários. Vamos receber o usuário com toda a estrutura pronta e com ele bem informado sobre as mudanças, vamos fazer uma divulgação ampla”, afirma o diretor da companhia.

Ainda de acordo com a Companhia, o passageiro não sofrerá com muitas mudanças técnicas. E completa: o endereço é a única alteração para a chegada e saída da frota.