Do Mais Goiás

Terminais de ônibus oferecem vacinação contra sarampo e influenza

Ações ocorrem nos terminais Bandeiras e Novo Mundo com foco nos usuários do transporte coletivo de Goiânia; confira os horários.

Usuários dos terminais Bandeiras e Novo Mundo podem se vacinar contra sarampo e influenza
A vacinação contra sarampo e influenza continua sendo realizada nos terminais de ônibus de Goiânia. Até a próxima sexta-feira (28), os usuários do transporte coletivo nos terminais Bandeiras e Novo Mundo poderão receber a dose da vacina. Objetivo da ação é aumentar a cobertura vacinal, principalmente em relação ao sarampo, que está muito baixa em todo país.

A vacinação contra sarampo e influenza está sendo em terminais de ônibus de Goiânia. Usuários do transporte coletivo poderão receber as doses nos terminais Bandeiras e Novo Mundo até a próxima sexta-feira (28). Objetivo da ação é aumentar a cobertura vacinal, principalmente em relação ao sarampo, que está muito baixa em todo país.

A vacina oferecida é a tríplice viral, a qual protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), podem se vacinar aquelas pessoas que tiverem entre 20 e 49 anos, independente do número de doses tomadas anteriormente.

A tríplice viral, no entanto, é contraindicada para gestantes e pessoas imunocomprometidas – receptores de transplante, queimados, portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV) e indivíduos com câncer . Isso porque, nesses casos, é necessária uma avaliação médica para analisar os riscos e benefícios antes de receber a dose, conforme informou a pasta.

No caso da gripe, pessoas de todas as idades podem ser imunizadas, desde que ainda não tenham recebido doses das mesmas vacinas este ano.

Vacinação de 6% da meta

A campanha de vacinação contra sarampo em Goiânia, iniciada em outubro de 2019, tinha como objetivo imunizar 680 mil pessoas com idades entre 20 e 49 anos. Todavia, até o momento, somente 41 mil procuraram os postos de saúde, ou seja, 6% da meta.

A vacinação é de suma importância, uma vez que o vírus do sarampo voltou a circular no Brasil em fevereiro de 2018. Até março de 2020, o país já havia registrado 29.233 casos confirmados e 30 óbitos.