Alexandre Bittencourt
Do Mais Goiás

“Tentamos alertar sobre o que está acontecendo agora”, diz partido de Vanderlan

PSD afirma que briga entre MDB e Rogério Cruz coloca Goiânia em segundo plano

Senador Vanderlan Cardoso (Foto: Reprodução)
Senador Vanderlan Cardoso (Foto: Reprodução)

Em nota publicada na noite desta segunda-feira, o PSD (partido do senador Vanderlan Cardoso) lamenta a crise política que a prefeitura de Goiânia vive, com o pedido de demissão de 14 secretários ligados ao MDB, e diz que “tentou alertar a população sobre o que está acontecendo agora”, mas foi “mal interpretado”. 

“Novamente Goiânia fica em segundo plano para dar lugar à disputa de cargos entre partidos que deveriam estar cuidando dos problemas da cidade”, afirma a nota. “Há muito o que fazer na administração da capital goiana e o tempo dos gestores deveria estar sendo usado para esse fim, mas infelizmente, o que se assiste é uma triste disputa de cargos e de poder pelo poder”.

O PSD chegou ao segundo turno da eleição para prefeito de Goiânia no ano passado, mas foi derrotado pela chapa formada por Maguito Vilela, que na época ainda era vivo, e o então candidato a vice-prefeito Rogério Cruz. “O candidato oficial se achava inconsciente, vítima de coronavírus e o candidato a vice, hoje prefeito Rogério Cruz, foi retirado de cena para não debater a cidade”, diz a nota. “O partido tentou alertar para uma suposta fraude no processo eleitoral”.

Na época, Vanderlan chamou atenção para o fato de que seria Rogério – um político pouco conhecido da população – que governaria a Capital caso Maguito viesse a morrer. O senador chamou o então candidato a vice para um debate, que nunca foi marcado. Os emedebistas argumentaram que Vanderlan não deveria tratar do assunto daquela maneira enquanto Maguito lutava pela vida em um leito de UTI do hospital Albert Einstein, em São Paulo. 

A nota é assinada pelo presidente do diretório regional do PSD, Vilmar Rocha; e pelo presidente do diretório metropolitano, Simeyzon Silveira. 

Veja o texto na íntegra: 

O Partido Social Democrático (PSD) – Goiás vem a público lamentar o momento vivido pela cidade de Goiânia, que enfrenta crise político-administrativa com a demissão coletiva de 14 secretários ligados ao MDB, ocorrida nesta segunda, 5 de abril.
O PSD, seus filiados e seu quadro de parlamentares nas esferas municipal, estadual e federalexterna sua preocupação com a cidade de Goiânia e seu futuro. Há muito o que fazer na administração da capital goiana e o tempo dos gestores deveria estar sendo usado para esse fim, mas infelizmente, o que se assiste é uma triste disputa de cargos e de poder pelo poder.
É preciso garantir o funcionamento da gestão das mais de 154 unidades de saúde, 381 unidades educacionais, da limpeza e manutenção das ruas, praças e prédios, da segurança, mas principalmente da geração de emprego e renda para os goianienses, para vencer esta crise econômica, a continuidade das obras paralisadas, sobretudo o BRT e asfaltamento erecapeamento da malha asfáltica nos bairros. Mais que isso! É preciso garantir a vacinação contra Covid-19 de todos os goianienses.
Vale lembrar que durante a campanha eleitoral de 2020, em que o então candidato senador Vanderlan Cardoso disputou a cadeira da Prefeitura de Goiânia com Maguito Vilela, o partido tentou alertar para uma suposta fraude no processo eleitoral. O candidato oficial se achava inconsciente, vítima de coronavíruse o candidato a vice, hoje prefeito Rogério Cruz, foi retirado de cena para não debater a cidade. Infelizmente, naquela ocasião, o partido foi mal interpretado quando tentou alertar a população sobre o que está acontecendo agora.
Novamente Goiânia fica em segundo plano para dar lugar à disputa de cargos entre partidos que deveriam estar cuidando dos problemas da cidade. O PSD não se furtará em ajudar a cidade contribuindo com ideias, sugestões e apontando soluções, mas também não vai abrir mão de fiscalizar a gestão e suas ações administrativas em prol dos goianienses.

Goiânia merece mais!

VILMAR ROCHA
PRESIDENTE ESTADUAL DO PSD EM GOIÁS

SIMEYSON SILVEIRA
PRESIDENTE DO PSD METROPOLITANO DE GOIÂNIA