Cidades

Taxistas fazem manifestação contra o Uber em Goiânia

Categoria tem sofrido perdas de até 40% no rendimento e reivindica o combate ao tranporte clandestino



(Foto: Reprodução/Redes Sociais)
(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Cerca de 300 taxistas realizaram uma manifestação na manhã desta terça-feira (23) em Goiânia contra os aplicativos de transporte de passageiro, como o Uber. O protesto começou no Paço Municipal, depois o cortejo de veículos seguiu até a Praça Cívica e terminou no Aeroporto Santa Genoveva.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Taxistas de Goiânia (SindiTaxi), Júlio Soares, a categoria tem sofrido com a concorrência desleal provocada com a entrada de aplicativos de tranporte de passageiros no mercado. Segundo ele, os motoristas estão tendo perdas de até 40% no rendimento. “O Uber é o depredador da nossa categoria. Nós demoramos 80 anos para montar uma frota de dois mil táxis e o Uber, em cinco meses, já tem cinco mil em Goiânia. Isso não tem condição. Eles estão pegando o nosso cliente, o do transporte coletivo e do moto táxi também, então são várias categorias que estão sendo prejudicadas.”

Ainda de acordo com o Júlio, os taxistas não são contra os aplicativos, mas defendem que haja uma regulamentação para que todos possam pagar tributos igualmente. “O taxista não é contra a concorrência, ele só é contra um tranporte que não paga nada e faz um preço mais barato que o nosso. A partir do momento que eles [motoristas do Uber] começarem a pagar, eles vão ver que não podem ser tão baratos assim. O que a gente quer é igualdade”, ressaltou.
protesto
Apoio político

O projeto que prevê a regulamentação dos aplicativos de transporte de passageiros que está na Câmara Municipal também é visto com descrença pela categoria. O vice-presidente do SindiTaxi explica que os motoristas se sentiram abandonados pelos vereadores. “Tinha vereador que era do lado do táxi e, de uma hora para outra, porque a população aceitou a causa do Uber pelo preço, eles acabaram abandonando os taxistas e indo pro lado do Uber, então nós não temos mais esperança sobre essa turma.”

A esperança agora da categoria foi depositada nas próximas eleições municipais, onde os motoristas almejam eleger um prefeito e uma turma de vereadores que sejam favoráveis as suas demandas. “Nós estamos trabalhando por um novo prefeito agora. Os [candidatos] que estão na ponta, nós estamos trabalhando com eles, e eles são a favor dos táxis. Não é que eles são contra o Uber. Eles não são contra a modernidade, a questão da tecnologia, mas são a favor da legalidade,” argumentou.