MGCartel 
Câmara aprova PL para caçar alvará de revendedores de combustíveis em prática de cartel
Derivados de petróleo
20/02/2019 às 12:00:07

Câmara aprova PL para caçar alvará de revendedores de combustíveis em prática de cartel

Prática em Goiânia foi constatada pelo Cade em 2002, quando a instituição investigou e multou Sindiposto e então presidente da entidade; Café afirma confiar na sanção do prefeito

Polícia Civil vai investigar alinhamento de preços em postos de combustíveis em Goiânia
Consumidor
08/11/2017 às 11:49:54

Polícia Civil vai investigar alinhamento de preços em postos de combustíveis em Goiânia

Procedimento que apura eventual cartel tramita em sigilo na Decon. Procon Goiás também instaurou procedimento para apurar aumento e tabulação de preços

Sem cartel, preço da gasolina no DF despenca
Livre mercado
11/12/2016 às 12:43:25

Sem cartel, preço da gasolina no DF despenca

Após intervenção do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), valores cobrados pelo combustível caíram

Cade anuncia intervenção em rede de postos de combustível do Distrito Federal
Cartel
25/01/2016 às 21:52:19

Cade anuncia intervenção em rede de postos de combustível do Distrito Federal

A intervenção terá duração de seis meses, podendo ser renovada enquanto durar o processo.

Decon indicia 91 donos de postos por Cartel
Cartel
15/12/2015 às 16:50:14

Decon indicia 91 donos de postos por Cartel

Investigações comprovaram que combustíveis em Goiânia, além de aumentar sem justificativa, tem o preço alinhado

Polícia Federal desarticula cartel de postos de combustíveis no DF
Cartel
24/11/2015 às 10:15:36

Polícia Federal desarticula cartel de postos de combustíveis no DF

Segundo a PF, somente a principal rede investigada vende R$ 1,1 milhão em litros de combustível por dia, um lucro diário de quase R$ 800 mil com o esquema.

Justiça determina retorno dos preços dos postos de combustíveis de Goiânia
Cartel
31/07/2015 às 18:12:14

Justiça determina retorno dos preços dos postos de combustíveis de Goiânia

De acordo com a decisão da juíza Zilmene Gomide da Silva Manzolli, da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual, os postos devem retornar aos preços anteriores ao reajuste, sob pena de multa diária de R$ 5 mi