Larissa Feitosa
Do Mais Goiás

Suspeitos de roubar carga de R$ 500 mil e manter motorista refém são presos

As investigações apontam que o grupo agia em parceria com várias empresas do ramo alimentício para fraudar a emissão de notas fiscais para tornar a origem das mercadorias roubadas aparentemente legais

Suspeitos de roubar carga de R$ 500 mil e manter motorista refém são presos
Os suspeitos são investigados pelo roubo de uma carga de queijo mozarela, avaliada em R$ 500 mil, na última sexta-feira (12) (Foto: Divulgação/PC)

Uma operação realizada pela Polícia Civil resultou na prisão de três pessoas nesta quinta-feira (18). Os suspeitos são investigados pelo roubo de uma carga de queijo mozarela, avaliada em R$ 500 mil, na última sexta-feira (12), em um posto de combustível localizado no município de São Luiz do Norte. Durante a ação, o trio teria mantido o motorista em cativeiro, sob forte ameaça de morte com armas, por 12 horas.

Suspeitos de roubar carga de R$ 500 mil e manter motorista refém são presos

Os suspeitos são investigados pelo roubo de uma carga de queijo mozarela, avaliada em R$ 500 mil, na última sexta-feira (12) (Foto: Divulgação/PC)

Segundo o delegado Alexandre Bruno de Barros, responsável pelo caso, o trio pertence a uma organização criminosa especializada em roubos de cargas, que além de receptação, realiza a comercialização dos produtos em comércios na região metropolitana de Goiânia.

Com os investigados foram apreendidos R$ 45.690,00 em dinheiro e R$ 630 mil em cheques, valores, que segundo a polícia, é proveniente da venda ilegal de mercadorias roubadas.

O que diz a investigação

As investigações apontam que o grupo agia em parceria com várias empresas do ramo alimentício para fraudar a emissão de notas fiscais, e assim, tornar a origem das mercadorias roubadas aparentemente legais, caso fossem questionadas em alguma fiscalização.

“As empresas já foram identificadas e serão investigadas, para que, caso seja comprovado o envolvimento, tenham os seus respectivos alvarás de funcionamento suspensos/cancelados”, afirmou o delegado.

A Polícia Civil estima que a organização, somente nos últimos 12 meses, causou um prejuízo de mais de R$ 10 milhões às vítimas. Os envolvidos responderão por receptação e associação criminosa.

A operação recebeu o nome de ‘Operação Formaggio’ e contou com o apoio operacional da Polícia Militar e da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar).