Violência nos presídios

Suspeito de matar rival e criança de cinco anos no Jardim Primavera é assassinado na CPP

Colega de cela de Edivaldo Trindade dos Santos confessou o crime, motivado, segundo ele, por uma rixa antiga


Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 03/10/2018 às 12:28:28

Edvaldo Trindade dos Santos foi preso em flagrante e assassinado por um colega de cela, segundo a DGAP | Foto:Divulgação/ Polícia Militar
Edvaldo Trindade dos Santos foi preso em flagrante e assassinado por um colega de cela, segundo a DGAP | Foto:Divulgação/ Polícia Militar

Um detento, que no último sábado (29) foi preso em flagrante pela Rotam suspeito de participação em um duplo homicídio, acabou assassinado por um colega de cárcere na noite de terça-feira (2), na Casa de Prisão Provisória (CPP), em Aparecida de Goiânia. Junto com outros colegas de cela, o detento que confessou o assassinato tentou simular um suicídio para encobrir o crime.

Condenado por tráfico e roubo, Edivaldo Trindade dos Santos, de 26 anos, foi preso no final da noite do último sábado (29), suspeito de ter participado de uma emboscada que vitimou João Pedro da Silva Moura, de 24 anos, e a sobrinha dele, Ane Victoria da Silva Xavier, de apenas cinco anos. Os dois, que estavam dentro de um veículo VW Polo, dirigido por João Pedro, foram baleados no momento em que chegavam no Jardim Primavera, em Goiânia, por três homens que ocupavam duas motos.

Ao ser preso, Edivaldo confessou, em um vídeo gravado por militares da Rotam, ter dirigido uma das motos, e alegou que uma briga entre gangues rivais teria motivado o assassinato. A criança baleada ainda chegou a ser socorrida, mas morreu no dia seguinte no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol).

De acordo com uma nota divulgada pela Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), Edivaldo foi encontrado dependurado dentro de uma cela da CPP no final da noite de ontem. A princípio, segundo a nota, os colegas de cela afirmaram que Edivaldo havia se matado, mas após algumas contradições, Thiago Prado França, de 22 anos, que também está preso por roubo e tráfico, assumiu o assassinato. Ele alegou ter cometido o crime devido a uma rixa antiga que teria com a vítima.

Edivaldo segundo informações iniciais, foi morto com chutes, socos, e por enforcamento. A DGAP afirma ter aberto uma sindicância para apurar os fatos.

Tópicos