Frieza

Suspeito de matar gerente de hipermercado de Bela Vista passeou no Shopping um dia depois do crime; confira o vídeo

Allan Pereira dos Reis, os filhos e a ex-esposa foram flagrados por câmeras de segurança do estabelecimento. Os gastos no local foram pagos com o dinheiro da vítima

Cidades

Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 21/02/2020 às 18:22:44

Laudos do caso da gerente de supermercado Fernanda Souza Silva, de 33 anos, apontaram que a mulher foi morta a golpes de madeira antes de ter o corpo carbonizado e enterrado pelo namorado em um matagal em Caldas Novas. (Foto: Reprodução)
Laudos do caso da gerente de supermercado Fernanda Souza Silva, de 33 anos, apontaram que a mulher foi morta a golpes de madeira antes de ter o corpo carbonizado e enterrado pelo namorado em um matagal em Caldas Novas. (Foto: Reprodução)

Allan Pereira dos Reis, o homem que confessou ter matado a namorada e a gerente de um hipermercado Fernanda Souza Silva, passeou em um shopping de Goiânia um dia após o crime. Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que ele, os dois filhos e a ex-esposa caminhavam de forma tranquila na tarde da última quinta-feira (13). As despesas do passeio foram pagas com o cartão da vítima, que estava com Allan.

De acordo com a Polícia Civil (PC), eles chegaram às 14h55 e ficaram cerca de três horas no shopping. Durante esse período, eles passearam, tomaram açaí e compraram brinquedos. As imagens mostram, ainda, que ele usou o carro da vítima para fazer o passeio.

(Imagens: TV Anhanguera)

Segundo apurou a polícia, Allan enforcou Fernanda com um golpe conhecido como “mata leão”, antes de matá-la a pauladas. Na sequência, abandonou o corpo entre Piracanjuba e Caldas Novas, voltando ao local, no dia seguinte, para queimá-lo e enterrá-lo.

Prisão de Allan

O suspeito foi preso na terça-feira (18) no município de Marianópolis, a cerca de 185 km de Palmas. Allan foi detido depois de que os policiais abordaram um ônibus que ia para a cidade de Santa Maria das Barreiras, no sudeste do Pará. Ao ser abordado, o suspeito apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsificada.

Em depoimento, ele afirmou que cometeu o crime após uma acalorada discussão, em que a gerente teria chamado os filhos dele de “bastardos”. A versão, porém, é contestada pela polícia, que acredita que Allan premeditou toda a ação, uma vez que, no dia seguinte ao assassinato, usou o carro e o cartão da vítima para fazer compras com a ex-mulher e os dois filhos menores.

Com informações de G1