Do Mais Goiás

Suspeito de matar doméstica tem amplo histórico de agressão a mulheres

Denise Alves Fernandes, 54, foi agredida com socos e chutes e morreu após sete dias no Huapa

Suspeito de matar doméstica já foi condenado por homicídio doloso
Suspeito de matar doméstica já foi condenado por homicídio doloso

O homem de 45 anos preso temporariamente por suspeita deagredir e matar a doméstica Denise Alves Fernandes, de 54 anos, já foi condenado em 2007 por homicídio doloso em que aconteceu Aparecida. A informação é do delegado Carlos Levergger, que afirma que o preso já tinha um extenso histórico de agressões contra mulheres.

“Em 2014, ele foi preso por agredir a cunhada, em 2018, ele foi preso por agredir a irmã e em 2020 ele foi detido por agredir a própria mãe. Ou seja, ele é um indivíduo de altíssima periculosidade e mostra o quanto ele tinha indiferença da figura feminina”, afirma.

O homem foi detido, na última quarta-feira (27), após se esconder em uma empresa de reciclagem no Setor Papillon Park, em Aparecida. O crime foi realizado no último dia 7 de janeiro na casa onde ele morava com a esposa, no Setor Terra Prometida, no mencionado município.

Segundo Carlos, a vítima realiza uma faxina na casa e, ao presencial a agressão do homem à esposa, ela interviu para tentar sanar a violência. O homem teria ficado enfurecido e agrediu a diarista. “Ele bateu com a cabeça da vítima por várias vezes contra a parede e também a agrediu com chutes. Ela ficou múltiplas lesões no rosto devido à violência dos golpes que foi atingida”, ressalta.

Denise foi encaminhada ao Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa), mas não resistiu e morreu sete dias depois de dar entrada na unidade por traumatismo cranioencefálico. Com isso o homem foi indiciado por homicídio qualificado que impossibilitou a defesa da vítima e motivo fútil. O delegado afirma que representará para a prisão preventiva dele. Se condenado, ele poderá pegar até 30 anos de prisão.

Suspeito de matar doméstica já foi condenado por homicídio doloso

Vítima ficou com o rosto completamente desconfigurado (Foto: divulgação/PC)