9 meses 11 dias

Suspeito de latrocínio é solto logo após ser apresentado à imprensa

Investigações apontam que além de matar um homem para roubar um celular, Wendel Marcos dos Santos teria cometido pelo menos outros dois assaltos no ano passado em Goiânia


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 20/08/2019 às 14:38:13

Investigações apontam que além de matar um homem para roubar um celular, Wendel Marcos dos Santos teria cometido pelo menos outros dois assaltos no ano passado em Goiânia
Investigações apontam que além de matar um homem para roubar um celular, Wendel Marcos dos Santos teria cometido pelo menos outros dois assaltos no ano passado em Goiânia

Filmado durante um roubo seguido de morte no ano passado, na Cidade Jardim, em Goiânia, reconhecido por dois assaltos e suspeito de uma tentativa de latrocínio, Lucas Alves da Silva, de 24 ano,  foi preso temporariamente pela Polícia Civil (PC) no final da semana passada. No início da tarde desta terça-feira (20), porém, ele foi liberado pela Justiça poucas horas após ser apresentado à imprensa.

Investigações reuniram provas que indicam Lucas Alves como o autor do disparo que matou, em 22 de outubro do ano passado, Wendel Marcos dos Santos, de 44 anos. Imagens de câmeras de segurança mostram quando um assaltante chegou em uma moto Biz, abordou, tomou o celular da vítima, atirou e fugiu em seguida. A investigação do Grupo Armado de Repressão aos Roubos e Assaltos (GARRA) da Deic durou nove meses e 11 dias.

O juiz da 2ª Vara Criminal, Rogério de Carvalho, determinou, na manhã de hoje, a liberação do suspeito. A esposa de Wendel Marcos, Alana Duarte, descreveu a revolta que sentiu com a decisão. “A Polícia Civil fez um excelente trabalho, reuniu provas, filmagens e reconhecimentos, o próprio criminoso confessou, daí um juiz vem e o coloca em liberdade?”, questiona. “Sinceramente, é muito frustrante ver o homem que tirou a vida do meu marido sair pela porta da frente da delegacia, que Justiça é essa”, finaliza Alana.

Provas

Em um vídeo gravado pela PC, Lucas confessa o crime, e alega que só atirou porque havia ingerido bebida alcoólica e usado drogas. E mais: que a vítima ter esboçado reação. No mesmo dia do crime, Lucas teria tentado assaltar outro homem, também na Cidade Jardim. Ele não o matou só porque a munição do revólver “picotou” e não saiu quando ele apertou o gatilho.

O rapaz ainda teria cometido outros dois roubos de celulares, segundo as investigações. Um deles foi em 14 de maio e outro no dia 20 de dezembro do ano passado. “Além de identificarmos ele, nós também chegamos ao receptador, recuperamos dois celulares roubados, inclusive o que foi tomado da vítima fatal, e descobrimos que ele usava a moto da esposa para cometer os crimes. Nós também apreendemos na casa dele o capacete que aparece nas filmagens. Lucas também foi reconhecido por duas vítimas de roubo, portanto, não há qualquer dúvida de que ele foi o autor de todos estes crimes relatados”, destacou a delegada Mayana Rezende, titular da Deic.

*Por Áulus Rincón, do Mais Goiás