FORAGIDO

Suspeito de assassinato praticado em Goiânia é preso no Tocantins

Crime cometido em agosto do ano passado no Setor Negrão de Lima teve como motivação, segundo as investigações, a disputa por pontos de venda de drogas


Aulus Rincon
Do Mais Goiás | Em: 13/01/2021 às 12:43:07

(Foto: Polícia Civil)
(Foto: Polícia Civil)

Agentes da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) prenderam, em Taguatinga, no Tocantins, Welinton Rafael Fernandes dos Santos, o “Leleco”, que é suspeito de um assassinato praticado no ano passado, em Goiânia. De acordo com as investigações, o crime foi motivado pela disputa por pontos de vendas de drogas na região central da Capital.

Segundo a Polícia Civil, Welinton Rafael foi o autor dos disparos que matou, em 13 de agosto de 2020, no Setor Negrão de Lima, Alôncio Sales Pinheiro. Após o crime, ele fugiu para o Tocantins, onde acabou localizado nesta semana durante um trabalho conjunto entre agentes da DIH, e policiais civis daquele estado.

Suspeito e vítima, de acordo com o delegado Rhaniel Almeida, adjunto da DIH, e responsáveis pelas investigações, traficavam drogas na região, e teriam se desentendido dias antes. Além do homicídio, Welinton tinha outro mandado de prisão em aberto também por tráfico de drogas, uma vez que, quando fizeram buscas à procura dele no ano passado em Goiânia, os policiais encontraram, na casa em que ele morava, diversas porções de cocaína, já preparadas para a venda, uma balança de precisão, além de munições.

Antes do assassinato, Welinton já havia sido autuado duas vezes, por tráfico de drogas. A DIH repassou o nome e uma foto do suspeito à imprensa por acreditar que ele possa ter praticado outros delitos em Goiânia. A divulgação da imagem e identificação do preso foi precedida nos termos da Lei n.º 13.869, Portaria n.º 02/2020 – PC, despacho do delegado titular da DIH, Rilmo Braga, nº 000010828006, e despacho DIH/DGPC- 09555 dos responsáveis pela investigação, especialmente porque visa a identificação de eventuais crimes outros cometidos pelo suspeito, bem como o surgimento de novas testemunhas.

Tópicos