Violência

Suspeita de atear fogo em namorado e em outras duas pessoas é presa em Anápolis

Mulher de 47 anos é suspeita de queimar usuária de drogas e morador de rua. Segundo a polícia, ela também já ateou fogo em sua própria casa, quando familiares estavam no interior no do imóvel


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 19/07/2019 às 11:23:37

Mulher de 47 anos suspeita de crimes em casa usada para consumo de drogas em Goiânia foi presa pela Polícia Civil (Foto: Divulgação/ GIH-Anápolis)
Mulher de 47 anos suspeita de crimes em casa usada para consumo de drogas em Goiânia foi presa pela Polícia Civil (Foto: Divulgação/ GIH-Anápolis)

Uma mulher de 47 anos foi presa na manhã de sexta-feira (19) suspeita de atear fogo em seu namorado, em 2011. Ela também é investigada em outros dois casos de homicídio, praticados em diferentes oportunidades, mas da mesma forma. Ivonete Leite de Jesus Ribeiro foi capturada em ação do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil (PC) de Anápolis.

A mulher é apontada pelas autoridades como responsável pela morte de seu então namorado, Gustavo Neves da Silva, 24 anos, em dezembro de 2011, numa casa situada na Avenida Tiradentes, Setor Central. O local, segundo a PC era um ponto de encontro de usuários de drogas. Ivonete teria usado etanol para atear fogo em Gustavo.

À época, uma mulher identificada pelas autoridades apenas com Zirene, estava presente no local do crime e contou a familiares de Gustavo que Ivonete cometeu o crime.

Em abril de 2012, Zirene, então testemunha daquele crime, foi misteriosamente morta na mesma casa, no Centro de Goiânia, em que Gustavo foi assassinado. A residência foi incendiada e o corpo da mulher foi encontrado carbonizado.

Dois anos depois, em abril de 2014, Ivonete foi presa em flagrante após atear fogo num morador de rua, no Centro de Anápolis, acumulando assim a terceira suspeita de morte com o mesmo modo de operação.

A PC informou que a suspeita se envolveu em outro caso de incêndio, quando ateou fogo na própria residência, com seus familiares no interior do imóvel. Não houve feridos nem informação da data do ocorrido. A mulher tem, também, passagens policiais por roubo.