Segurança Pública

SSP pede dez dias para analisar reivindicações de segurança para motorista de aplicativo, diz categoria

De acordo com o presidente da classe, ação agradou à categoria. Estopim foi a morte de um outro motorista por aplicativo, com três tiros no rosto

Cidades

Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 31/10/2019 às 19:36:30

Imagem de protesto dos motoristas de aplicativo em outubro do ano passado (Foto: Divulgação)
Imagem de protesto dos motoristas de aplicativo em outubro do ano passado (Foto: Divulgação)

A Secretária de Segurança Pública (SSP) pediu à classe de motorista de aplicativo dez dias para analisar as propostas apresentadas pela categoria. Elas foram levantadas durante encontro entre o presidente da Associação de Motoristas por Aplicativo do Estado de Goiás (Amago), Leidson Alves dos Santos, o comandante-geral da Polícia Militar (PM), coronel Renato Brum, o secretário da pasta estadual, Rodney Miranda, e o delegado-geral da Polícia Civil (PC), Odair José Soares.

Leidson destaca que a principal proposta é de adesivagem dos veículo de aplicativos para facilitar a identificação pelos policiais. Esses identificadores, de acordo com ele, teriam o brasão das polícias Civil e Militar. “Ajudaria a intensificar a abordagem de veículos e levar mais segurança aos colegas que trabalham em qualquer horário, mas, principalmente, os que rodam à noite”, destaca.

Segundo ele, a pasta pediu o prazo de dez dias e um novo encontro será marcado com a classe. A resposta agradou a categoria, que precisa de um “paliativo urgente sobre a sensação de insegurança que rondam os motoristas diariamente.”

Após encontro com as autoridades desta quinta-feira, Leidson descarta um novo bloqueio na BR-153. Ele explica que, caso não fossem atendidos, os motoristas iriam interditar parte da rodovia para chamar a atenção das autoridades sobre o aumento de violência contra a categoria. Entre 22h e as 3h de quarta-feira (30), duas vias da rodovia e parte da GO-020 foram paralisadas pela classe. Por isso, formou-se 12 quilômetros de congestionamento, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O presidente afirma que muitos motoristas desenvolveram traumas psicológicos diante as recentes mortes de colaboradores da classe. “Eu não sou mais motorista por aplicativo. Desenvolvi um trauma psicológico muito grande. Nossa categoria está abalada psicologicamente”, afirma.

E relembrou que os pedidos foram feitos em ofícios e entregues nas sedes da Uber e 99 Pop, em Goiânia, na última segunda-feira (28) . De acordo com ele, a Uber está com o prazo dentro da conformidade, mas  já há uma reunião marcada para a próxima segunda-feira (4/11). A 99 Pop também cumpriu o prazo de 24 horas. As manifestações já foram encaminhadas para sede da empresa, que fica em São Paulo.

Morte de motorista de aplicativo

O estopim para a reivindicação foi a morte do Fabio Júnior Oliveira dos Santos, de 38 anos. Ele foi morto na última terça-feira (29). A categoria pensava que se tratava de mais um caso de violência causada por assaltantes. Entretanto, a Polícia Militar (PM) confirmou que ele é um dos quatro mortos durante um confronto com equipes do Batalhão de Choque. Fábio foi atingido com três tiros no rosto.

A associação arrecadou R$ 3 mil para financiar a cirurgia plástica de reconstrução facial da vítima. Segundo a Amago, o intuito é que Fábio Júnior fosse enterrado e velado de forma digna. O enterro aconteceu em Senador Canedo.

Por meio de nota, a SSP disse que tem “se dedicado diuturnamente no combate à criminalidade no Estado e na garantia da segurança pública da população goiana.” O texto ainda destaca que “o envolvimento de Fábio está sendo apurado” e que a corporação “possui mais absoluto compromisso com a verdade dos fatos.” Confira a nota na íntegra

Motorista de aplicativo foi morto durante confronto de assaltantes com a PM

Motorista de aplicativo foi morto durante confronto de assaltantes com a PM (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A Assessoria de Comunicação Social da Polícia Militar destaca que a corporação tem se dedicado diuturnamente no combate à criminalidade no Estado e na garantia da segurança pública da população goiana. Em relação a ocorrência que aconteceu na última terça-feira (29/10), na zona rural de Varjão, a PM informa que suspeitos de roubos contra propriedades rurais estavam armados. Eles reagiram à abordagem da PM, dispararam contra os policiais. Entre eles, estava o motorista Fábio Júnior de Oliveira Santos, cujo envolvimento na ocorrência está sendo apurado. A Polícia Militar ressalta, ainda, que todas as ocorrências envolvendo confronto entre policiais e suspeitos são investigadas com o mais absoluto rigor. A corporação destaca que possui mais absoluto compromisso com a verdade dos fatos.

SSP - PM