Série A

Sport ganha e estraga inauguração da arena palmeirense

Palmeiras mantém a agonia da torcida na luta contra o rebaixamento - segue com 39 pontos, enquanto o time pernambucano foi a 47




A festa palmeirense não teve final feliz na noite desta quarta-feira. Na inauguração do Allianz Parque, com um grande público no novo e moderno estádio, o Palmeiras perdeu para o Sport por 2 a 0, pela 35ª rodada do Brasileirão, e manteve a agonia da torcida na luta contra o rebaixamento – segue com 39 pontos, enquanto o time pernambucano foi a 47.

Um marco na história centenária do clube, a inauguração do novo estádio promete causar um grande impacto na vida do Palmeiras. Construída ao custo aproximado de R$ 650 milhões pela WTorre, a arena deve gerar muitas receitas, seja com a renda dos jogos ou seja com os shows que o local receberá – o primeiro será do ex-beatle Paul McCartney, na semana que vem.

Foram 1.594 dias longe de casa. Depois que o antigo Palestra Itália foi fechado em 2010 para uma reforma que fez nascer um novo e belo estádio, o Palmeiras mandou seus jogos em diferentes lugares, como Pacaembu, Canindé, Barueri e outros. Por isso mesmo, a torcida palmeirense fez uma festa gigantesca na inauguração da arena nesta quarta-feira.

A festa começou cedo, com agitação nas ruas que cercam o estádio. Para um público de quase 36 mil pessoas – a capacidade total de 43 mil lugares ainda não foi liberada -, o primeiro jogo teve fogos de artifício, vídeos comemorativos nos telões e hino do clube interpretado por artistas palmeirenses. Mas o noite também era de jogo importante pelo Brasileirão.

Demorou algum tempo para os jogadores assimilarem a novidade e controlarem a emoção dentro de campo. Empurrado pela torcida e precisando da vitória, o Palmeiras logo tratou de mostrar quem manda em casa, assumindo o controle da partida. Mas sem Valdivia que voltou machucado da seleção chilena, o time sofreu para criar e chegar ao gol adversário.

Coadjuvante na festa, e já sem grandes pretensões no campeonato, o Sport tratou de se fechar na defesa, esperando encaixar algum contra-ataque, principalmente com Diego Souza, o mais perigoso jogador do time pernambucano. Como tinha dificuldades para entrar na área adversária, o Palmeiras começou a arriscar alguns chutes de longe, sem sucesso.

Mas a única grande chance do primeiro tempo foi mesmo palmeirense. Aos 22 minutos, Juninho recebeu passe de Diogo dentro da área e cruzou na medida para Felipe Menezes, que, sozinho, cabeceou para fora, desperdiçando uma oportunidade incrível de gol. No mais, faltou criatividade e qualidade para as duas equipes, que exigiram muito pouco dos goleiros.

Na volta do intervalo, o Sport assustou logo na saída de bola com Danilo. Já o Palmeiras continuou sofrendo com os mesmos problemas de criação no ataque. Diante disso, o técnico Dorival Júnior resolveu trocar o meia Felipe Menezes pelo argentino Allione. Mas a situação não mudou muito: o ataque palmeirense não conseguia ameaçar o goleiro Magrão.

Aos poucos, o Sport foi se soltando mais no ataque. Aos 21 minutos, por exemplo, Danilo apareceu livre na área palmeirense, mas pegou muito mal na bola e desperdiçou boa chance. Dorival Júnior, então, colocou o atacante argentino Mouche no lugar do lateral-esquerdo Juninho, com o objetivo de deixar o time mais ofensivo e poder chegar ao gol.

Quem marcou, no entanto, foi o Sport. Aos 32 minutos, logo depois de substituir Joelinton, o atacante Ananias recebeu dentro da área e foi rápido para chutar no canto de Fernando Prass, fazendo o primeiro gol da história do Allianz Parque, para frustração palmeirense. Depois, Dorival Júnior ainda trocou o volante Wesley pelo meia-atacante Mazinho.

Assim, o Palmeiras tentou pressionar nos minutos finais. Mas, muito limitado tecnicamente, quase não conseguiu assustar o goleiro Magrão. Pior: ainda abriu espaço para o contra-ataque. O Sport tratou de aproveitar. Já aos 44 minutos, Patric fez uma linda jogada e ampliou para 2 a 0, definindo o placar do primeiro jogo da história do Allianz Parque.

A inauguração do estádio, portanto, foi com derrota. A esperança palmeirense é que a arena traga mesmo novos ares para o clube, para que o torcedor não passe por outras grandes frustrações como essa. Na noite desta quarta-feira, que começou com uma bonita festa para marcar a volta para casa, o grito da torcida no final foi “Time sem vergonha”.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 0 X 2 SPORT

GOLS – Ananias, aos 32, e Patric, aos 44 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO – Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
CARTÃO AMARELO – Joelinton, Henrique e Marcelo Oliveira.
RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.
LOCAL – Allianz Parque, em São Paulo (SP).

PALMEIRAS – Fernando Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Juninho (Mouche); Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley (Mazinho) e Felipe Menezes (Allione); Diogo e Henrique. Técnico: Dorival Júnior.

SPORT – Magrão; Patric, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rithely, Rodrigo Mancha, Danilo (Wendel) e Diego Souza; Mike (Felipe Azevedo) e Joelinton (Ananias). Técnico: Eduardo Baptista.