Cidades

Solto homem preso com 111kg de ouro dentro de avião, em Goiânia

Passageiro apontado como dono da carga avaliada em R$ 18 milhões foi solto nesta quarta-feira (12). Ele vai responder por crime ambiental e usurpação de bem da União


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 14/06/2019 às 10:15:32

(Foto: Divulgação/PF)
(Foto: Divulgação/PF)

O passageiro de um avião apreendido com 111 kg de ouro no Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, apontado como dono da carga avaliada em R$ 18 milhões, foi solto nesta quarta-feira (12). Ele foi preso em flagrante na última segunda-feira (10) e é investigado por crime ambiental, já que não possuía documentação necessária para ter e transportar o material. Ele também responde por usurpação de bem da União.

Segundo informações da Polícia Federal (PF), o homem, que não teve o nome revelado, passou por audiência de custódia na Justiça Federal na terça-feira (12). A soltura, no entanto, só foi feita no dia seguinte. Durante depoimento ao delegado responsável pelo caso, Bruno Gama, o homem permaneceu calado e afirmou que só irá se pronunciar em juízo.

Ainda conforme a corporação, a carga apreendida continua no depósito da PF e o avião segue retido no aeroporto. Ambos irão passar por perícia. A assessoria de imprensa da corporação disse ao Mais Goiás que não pode passar mais detalhes sobre o caso para não atrapalhar as investigações.

Até o momento não há informações acerca do proprietário da aeronave. A suspeita é que o avião tenha saído do Mato Grosso com destino a Goiânia. Segundo a PF, só será possível confirmar o local de origem e o dono da aeronave após as investigações. O piloto foi ouvido no dia da apreensão e liberado em seguida. Ele disse que não sabia do transporte ilegal da carga.

A apreensão ocorreu na última segunda-feira (10) após uma ação conjunta entre a PF e Polícia Militar (PM). As corporações receberam denúncia anônima de que o avião fazia transporte ilegal do ouro com destino à capital. Logo após o pouso, as polícias fizeram o flagrante. A denúncia também informava o transporte de carga de cocaína, que não foi confirmado.