Desabamento de prédio

Sobe para dois o número de mortos após desabamento de prédio, em Fortaleza (CE)

De acordo com a reportagem do G1, a vítima é do sexo feminina e foi encontrado em um lugar de difícil acesso. PC cearense abriu inquérito para investigar as causas da queda


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 16/10/2019 às 14:42:39

Sobe para dois o número de mortos após desabamento de prédio, em Fortaleza (CE) (Foto: Cinthia Freitas/G1 Ceará)
Sobe para dois o número de mortos após desabamento de prédio, em Fortaleza (CE) (Foto: Cinthia Freitas/G1 Ceará)

Mais uma morte foi confirmada, na manhã desta quarta-feira (16), no desabamento do prédio em Fortaleza, no Ceará. De acordo com o Corpo de Bombeiros local, o corpo, do sexo feminino, foi encontrado durante a madrugada, com auxílio de cães farejadores. As informações são do portal G1 do Ceará.

Ainda de acordo com a reportagem, a vítima ainda não foi identificada e o corpo foi encontrado num lugar de difícil acesso. O primeiro corpo, que foi encontrado na tarde da última terça-feira (15), foi identificado: Frederick Santana dos Santos, de 30 anos. De acordo com a publicação, ele estava num mercadinho que funcionava ao lado do local e foi atingido pelos escombros do prédio.

Houve aumento no número de vítimas desaparecidas: de oito para nove. Segundo o Corpo de Bombeiros local, um zelador poderia estar no prédio e ainda não foi encontrado. Para isso, ainda nesta madrugada, foi dada início a retirada de entulhos. Os trabalhos tiveram uma breve pausa devido à chuva que caiu pela manhã, mas logo foram retomados.

De acordo com a reportagem, noves pessoas já foram regatadas. Entretanto, só foi possível checar o estado de saúde de cinco delas. Os nomes são:

  • Fernando Marques, de 20 anos – foi o primeiro resgatado com vida dos escombros; deu entrada com ferimentos no Instituto Doutor José Frota (IJF), hospital público de Fortaleza
  • Antônia Peixoto Coelho, de 72 anos – estado de saúde considerado grave
  • Cleide Maria da Cruz Carvalho, de 60 anos – deu entrada no hospital com ferimentos no corpo, mas o quadro é estável
  • Davi Sampaio, de 22 anos – o estudante de arquitetura sofreu escoriações e foi levado à Otoclinica (clínica particular de Fortaleza); ele enviou uma selfie a familiares enquanto estava sob os escombros
  • Gilson Gomes, de 53 anos – resgatado de um pequeno comércio ao lado do prédio

Investigações do desabamento do prédio

De acordo com a Prefeitura de Fortaleza, a construção foi feita em 1995, mas de forma irregular. Por isso, não constam registros oficiais do imóveis. Até o referido ano, havia uma residência no local, que foi erguida em 1970. O Conselho Regional de Engenharia do Ceará (Crea-CE) destaca que não tem o nome do profissional responsável pela obra.

Na manhã desta quarta-feira (15), a Polícia Civil (PC) cearense abriu inquérito para apurar as causas que levaram o edifício a ruir. De acordo com a corporação, diversas pessoas como moradores, sobreviventes e vizinhos prestaram depoimentos. A síndica do prédio, Maria das Graças Rodrigues, de 53 anos, é tida como “testemunha-chave”, mas ela está desaparecida. Entretanto, não foi confirmado se ela está sob os escombros.

A corporação destaca que o edifício passava por reformas. Um vídeo divulgado na última terça-feira (15) mostra diversas colunas da edificação estavam à mostra. Algumas envoltas por sacolas plásticas como forma de sinalização.

*Com informações do G1 Ceará e O Povo Online