Música

Só Pra Contrariar lança novo disco, ‘O Lado B’, de olho em novos públicos

Projeto marca os 30 anos do grupo e traz novas versões de faixas pouco conhecidas


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 27/09/2019 às 17:29:53

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Em 2019, a Só Pra Contrariar completa 30 anos de estrada. Por isso, os integrantes da banda acharam que este era o momento perfeito para revisitar o passado e lançar o disco O Lado B, com releituras de músicas já lançadas, porém pouco conhecidas.

Fernando Pires, que assumiu os vocais da SPC em 2002, disse ao Mais Goiás regravar canções da discografia da banda sempre foi uma vontade antiga. Sobretudo, aquelas que não tocaram nas rádios. “Para o novo público, soarão como canções inéditas”, pontuou.

Segundo o artista, este ‘novo público’ já começou a abraçar o trabalho da banda e isso fica perceptível nos shows da Só Pra Contrariar. “Além das pessoas da nossa geração, os jovens estão conhecendo melhor o nosso trabalho, através da internet, redes sociais, e dos próprios pais, que ouvem SPC em casa”, explicou Fernando.

O cantor salientou ainda que há repertório para mais projetos similares. Inclusive, já há planos de um O Lado B 2.

Ainda há espaço para o SPC?

De meados dos anos 1990 – quando foi o auge do Samba nas rádios brasileiras – o mercado fonográfico mudou. Para uma banda continuar na ativa, é necessário ter jogo de cintura e se adaptar.

Algo que, segundo Fernando, a SPC faz. Sobretudo com a cartela de hits que colecionaram no tempo de estrada. “Artistas consagrados com milhões de discos vendidos, repertório rico com vários sucessos marcantes e um público fiel sempre terão espaço no mercado”, opinou. “Vivo isso há 30 anos”.

Para ele, a internet, o streaming e as novidades do mercado musical digital devem ser abraçados por quem já está nos palcos há mais tempo. “Os artistas mais velhos precisam, sim, se readaptar às novas oportunidades. A internet, hoje, é o caminho mais rápido para se renovar”, completou.

Gêneros musicais

Alguns artistas de certos nichos, como é o caso da SPC, por exemplo, sofrem com as tendências de mercado, que vez ou outra abre mais espaço para um gênero do que para outro. Nos anos 1990 e início dos anos 2000, o Samba abocanhou boa parte da programação musical das rádios. Hoje, quem ocupa este espaço é o Sertanejo.

“Essa onda já aconteceu com todos os gêneros mais populares: Rock Nacional, Axé, Samba, Lambada,… E agora, o Sertanejo”, pontuou Fernando. “Acredito que [o espaço] dê uma esfriada com o passar do tempo e fiquem aqueles que têm mais qualidade e um repertório sólido, marcante, que perdure por anos e décadas”, destacou.

Fernando ou Alexandre?

Alexandre Pires deixou a Só Pra Contrariar para focar na carreira solo. Em 2002, Fernando Pires, irmão do cantor, antes baterista do grupo, assumiu o posto de vocalista. Segundo ele, apesar das comparações, nunca houve nenhum tipo de rejeição. “Até porque sou irmão e o fundador da SPC, junto com o Alexandre”.

Sempre haverá comparações,  pelo fato de o Alexandre ter sido a figura marcante do grande sucesso do SPC nos anos 1990. Isso nunca me incomodou. Pelé sempre vai ser o único Pelé. Roberto Carlos sempre vai ser o Rei! Alexandre é único e nunca vai existir outro igual

Para Fernando, substituir Alexandre na banda é gratificante. Ele tem um estilo próprio de cantar e de se comportar em cima do palco, que tem agradado o público. “Não preciso provar nada a ninguém”, frisou.

Ouça o novo disco da Só Pra Contrariar, O Lado B: