Do Mais Goiás

Seu Waldemar é investigado por divulgação não autorizada de cena pornográfica

Apuração ficará a cargo da delegada Sabrina Lelis, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos. PC afirma que a titular já realizou contato com a vítima

Seu Waldermar é investigado por divulgação não autorizada de cena pornográfica
Seu Waldermar é investigado por divulgação não autorizada de cena pornográfica

O humorista Seu Waldemar é investigado pela Polícia Civil (PC) após a divulgação de conteúdo pornográfico sem consentimento da vítima em sua rede social. Por meio de nota, a corporação informou que um inquérito já foi aberto e será conduzido pela delegada Sabrina Lelis, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC).

Segundo o documento, a delegada já entrou em contato com a vítima e também com o humorista. Ambos serão ouvidos dentro das próximas semanas. A investigação deve abranger o crime de divulgação não autorizada de cena pornográfica, cuja a ação penal é pública incondicionada e, por isso, não necessita da representação da vítima.

Relembre o caso de Waldemar

A publicação foi feita no Instagram do artista no último domingo (7). No post, ele mostra a genitália de uma mulher, a qual demostra não saber da gravação. O story teria ficado cerca de oito minutos no ar. Logo depois, foi removido da conta de Waldemar.

O caso gerou muita revolta na web e, como consequência, seu Waldemar perdeu cinco contratos e 16 mil seguidores em um dia. Porém, na última atualização dessa reportagem, já eram mais de 30 mil seguidores que deixaram de seguir o artista. A ação também custou o emprego de apresentador do programa No Balaio, daTV Anhanguera, do qual ele foi desligado. A colega de trabalho, a apresentadora Ana Clara Paim, repudiou a atitude do colega. “Não vou e não quero passar pano.

O advogado da vítima, Lázaro Neves, confirmou que não houve consentimento da vítima nem para a gravação tampouco pela divulgação. Ambos se conheceram em um show do humorista antes da pandemia e, após trocas de contatos, criaram uma relação de confiança.  “Ela nunca esperou que uma situação como esta fosse acontecer”, disse o advogado.

Para o Coletivo Pagu, grupo de mulheres feministas fundado na Universidade Federal de Goiás (UFG), o caso de seu Waldemar traz à tona a cultura de violência à qual “a liberdade de todas as mulheres” está exposta.

‘Erros são feitos para ser cometidos e não repetidos’

Na noite da última terça-feira (8), Seu Waldemar  se pronunciou através das redes sociais. Em determinado momento, ele assume a gravação e revela que a mesma foi feita para mandar “apenas para ele”.

“Fui errado filmando, pensando em mandar só para mim. Mas, de uma forma não intencional, acabei publicando e jamais pensando em prejudicá-la”, diz ele. Ele, também disse que não tem “antecedentes que manchassem” a carreira, nem “histórico de desrespeito a nenhuma mulher”.

O humorista pediu desculpas à jovem, à família e a “todas as pessoas e mulheres que se sentiram ofendidas”. “Estou muito envergonhado, triste mesmo. Arrependido do que aconteceu”, sublinha.

Ele termina o vídeo agradecendo a própria família pelo apoio e as pessoas que mostraram compaixão a ele. “Erros foram feitos para serem cometidos e não repetidos. Que isso sirva de exemplo, principalmente para mim”.