Do Mais Goiás

Servidores municipais da saúde cobram direitos trabalhistas, em Aparecida

Representante da categoria afirma que gabinete do prefeito se negou a marcar reunião

Manifestação cobra direitos trabalhistas para servidores municipais de saúde, em Aparecida (Foto: Divulgação/SindSaúde)
Manifestação cobra direitos trabalhistas para servidores municipais de saúde, em Aparecida (Foto: Divulgação/SindSaúde)

Servidores da Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia realizam carreata puxada pelo
Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (Sindsaúde), nesta quinta-feira (13), em Aparecida. A categoria reivindica direitos trabalhistas da atual gestão municipal. A concentração foi às 9h, em frente à sede da Secretaria Municipal de Saúde, no Centro da cidade.

Entre as reivindicações dos servidores estão o pagamento da data-base de 2020 (2,76%), data-base de 2021, progressão de carreira (2%), piso salarial dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agente de Combate a Endemias (ACE). Além do cumprimento da proporcionalidade salarial entre níveis, prevista em lei, instituição do plano de carreira para motorista de ambulância e servidores administrativos, abertura de editais de concursos públicos e melhores condições de trabalho.

Negligência

De acordo com a categoria, o prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha se negou a receber os servidores da saúde. Assessoria de comunicação do Sindisaúde confirmou que os salários dos servidores da secretaria da saúde estão congelados em meio ao enfrentamento da pandemia.

De acordo com o sindicato, a categoria está tentando dialogar com a administração municipal para correção de perdas acumuladas que chegam a 71,43% do salário. O SindSaúde já se reuniu com os secretários de Finanças e de Saúde, mas as negociações não avançaram.

Ainda de acordo com o sindicato, após a realização de uma assembleia geral em frente à sede da prefeitura na última semana, os servidores tentaram marcar uma reunião com o prefeito Gustavo Mendanha em seu gabinete. Como resposta, receberam a orientação para entrarem na Justiça e buscar o gestor em suas redes sociais.

Respostas

Ao Mais Goiás, a Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia alega que o atual Plano de Cargos e Salários da pasta está em conformidade com a legislação e com os acordos coletivos vigentes. Afirma também que já iniciou os trabalhos de reavaliação do plano, realizado juntamente com os representantes sindicais.

A pasta acrescenta ainda ainda que tem mantido uma agenda de reuniões com representantes da Secretaria da Fazenda e das categorias de profissionais da pasta para discutir as demandas dos servidores, tais como piso salarial, data-base e progressão de carreira. Inclusive, houve reunião na última quarta-feira, (12). A pasta ainda alega que em 2020 não foi possível realizar a correção da data-base em virtude da Lei Federal n° 173/2020.