Paga-não-paga

Servidores estaduais vão tentar adiantar reunião com o Governo

Equipes estadual e federal se reuniram na Secretaria da Fazenda enquanto uma assembleia ocorria do lado de fora


Bárbara Zaiden
Do Mais Goiás | Em: 14/01/2019 às 18:03:51

Servidores protestaram enquanto equipes dos governo Federal e Estadual se reuniam na Sefaz (Foto: Bárbara Zaiden, do Mais Goiás)
Servidores protestaram enquanto equipes dos governo Federal e Estadual se reuniam na Sefaz (Foto: Bárbara Zaiden, do Mais Goiás)

Na tarde desta segunda-feira (14), servidores estaduais de Goiás realizaram uma assembleia na porta da Secretaria da Fazenda (Sefaz), em Goiânia. A deliberação foi para tentar adiantar a reunião com o Governo Estadual, que estava prevista para o dia 17 deste mês. Ao todo, 46 entidades, entre sindicatos e associações, estiveram representadas no ato.

A assembleia foi suspensa e pode ser convocada novamente a qualquer momento. Até agora, os servidores não falam em greve. Diferente das entidades, um grupo de docentes estaduais afirma que não volta às salas de aula no dia 21 de janeiro se a folha não tiver sido quitada.

“Essa assembleia é a defesa do pagamento do salário de dezembro. Nós não aceitamos a proposta anterior, de parcelamento, e agora não estamos felizes com o pagamento de janeiro antes de dezembro”, afirmou o presidente do sindipúblico, Nylo Sérgio.

O presidente do sindicato de Policiais Civis de Goiás, Paulo Sérgio Alves, enfatizou que os salários de servidores são essenciais para a alimentação e as contas pessoais. “O senhor governador é um político experiente, ele sabe que não pode deixar o servidor mais nenhum dia sem receber”, disse Paulo.

Ao mesmo tempo que os servidores se manifestavam, equipes dos governos Estadual e Federal se reuniam na Sefaz. “O que eu não posso adiantar é algo que não tenha, ainda, a menor condição de dizer a data, o dia e como”, disse o governador Ronaldo Caiado (DEM) sobre o pagamento da folha de dezembro de 2018.

A equipe da Sefaz busca inserir o Estado de Goiás no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), do Governo Federal. Contudo, a secretária da Fazenda de Goiás, Cristiane Schmidt, diz que ainda é necessária uma análise sobre o orçamento de 2018 para saber se pode ser enquadrado nos requisitos do programa.

A chamada “missão federal” deve ocorrer na capital até a próxima quarta-feira (16) e nenhum outro detalhe será repassado à imprensa até lá. A equipe do Ministério da Economia que veio a Goiás é composta por cinco representantes. São eles: gerente de Projeções e Estudos Focais Felipe Soares Ludovice; coordenador de Relações Financeiras com Estados e Municípios Acauã Brochado; substituta da subsecretária de Relações Financeiras, Sarah Tarsa Andreozzi; analista de Planejamento e Orçamento da Secretaria de Orçamento Federal, Luiz Guilherme Pinho; analista de Planejamento e Orçamento, Dalmo Palmeira.