Artur Dias
Do Mais Goiás

Servidores do sistema penal cobram transparência na vacinação contra covid-19

De acordo com sindicato, trabalhadores jovens estão recebendo doses enquanto mais antigos aguardam

Mortes pela Covid se aproxima das 12 mil em Goiás
Mortes pela Covid se aproxima das 12 mil em Goiás (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

Servidores do sistema penal do estado de Goiás reclamam de falta de transparência no processo de vacinação contra Covid-19. De acordo com denúncias feitas pelos próprios trabalhadores, a lista de quem será imunizado e de quem já recebeu doses da vacina não foi divulgada e há relatos de jovens recebendo a imunização antes de trabalhadores mais antigos.

O problema levou o Sindicato dos Servidores do Sistema de Execução Penal do Estado de Goiás (Sinsep-GO) a enviar ofícios ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) ao governador Ronaldo Caiado (DEM). Nos documentos, a entidade alega que não houve divulgação da relação de trabalhadores que seria imunizada.

O presidente do sindicato, Maxsuell Miranda Neves, disse ao Mais Goiás que a entidade recebeu denúncias de que pessoas jovens estavam sendo imunizados, enquanto servidores mais antigos ainda aguardavam as doses. “Já recebemos denúncias de pessoas com mais de 30 anos de serviço prestado que não foram vacinados, enquanto pessoas com 20 anos já e funcionários temporários já receberam a vacina”.

Maxsuell ressaltou ainda que falta informação sobre as datas e grupos prioritários que receberão as doses. “Primeiro disseram que seria nesta terça, depois na quarta. Ninguém sabe quem está nessa lista, e isso gera suspeitas de que pessoas estejam furando a fila. O problema não está no governo do estado, mas na ingerência administrativa da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Todas as forças de segurança já divulgaram suas listas, menos eles”.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou à reportagem que uma resolução aprovada pela Comissão Intergestores Bipartite (CIB) estabelece dois critérios para a vacinação das forças de segurança. O documento, publicado no Diário Oficial no dia 24 de março, estabelece que a prioridade é para servidores estejam em atividade e por ordem decrescente de idade. Com relação às listas de pessoas imunizadas e que ainda receberão a vacina, a SES comunicou que a responsabilidade é da DGAP.

A DGAP, por meio de nota, informou que a gestão da utilização das doses é realizada por cada unidade prisional junto às secretarias de Saúde de cada município. De acordo com o órgão, os servidores de cada localidade são informados pela direção na qual estão lotados.

A Diretoria afirmou também que a dinâmica de vacinação depende da quantidade de doses recebidas por cada município. Por fim, o órgão afirmou que está seguindo os critérios determinados pelo governo do estado.

Vacinação nas forças de segurança

Os servidores das forças de Segurança começaram a receber a vacina contra a Covid-19 na última sexta-feira (26). A imunização, se estende às polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, além de bombeiros e guardas civis.

De acordo com o governo, a destinação desse quantitativo será feita até a conclusão da imunização de todo o contingente de segurança de Goiás. Pelas redes sociais, Caiado comentou a iniciativa. “Nossos heróis da segurança pública não pararam suas atividades em nenhum momento nesta pandemia. Tudo isso para garantir a integridade física de nossa gente. Dessa maneira, nada mais justo do que imunizá-los contra essa doença que já ceifou tantas vidas.”, escreveu no Twitter.