Protesto em Brasília

Servidores do Judiciário pedem votação rápida do aumento de salário

O grupo de 250 servidores, de acordo com a Polícia Militar, passou pelo Ministério do Planejamento, em seguida protestou em frente ao Palácio do Planalto




Servidores do Poder Judiciário caminharam até o Palácio do Planalto na tarde de hoje (17) para pedir ao governo para aprovar o reajuste para a categoria. Fazendo muito barulho, com fogos e buzinas, os servidores alegam que “colaboram há nove anos com o ajuste fiscal”.

“Queremos a recomposição das perdas inflacionárias que tivemos”, disse Elcimara Souza, coordenadora do sindicato de Brasília. Segundo ela, o ato em frente ao Palácio do Planalto visou a reivindicar do governo que a apreciação do aumento no Senado não seja mais adiada.

O grupo de 250 servidores, de acordo com a Polícia Militar, passou pelo Ministério do Planejamento, em seguida protestou em frente ao Palácio do Planalto.

Aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado o projeto de lei que concedia o reajuste aos servidores seria votado no plenário da Casa no dia 10 de junho, mas houve adiamento para o dia 30. O governo solicitou ao Judiciário que reconsiderasse os percentuais do reajuste médio de 59,49%.

“Temos um estudo [sobre os impactos do reajuste salarial dos servidores do Judiciário] desde que a proposta foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça. São aumentos que variam de 56% a 78%. São aumentos que gerariam um acréscimo nos gastos [do governo] de quase R$ 25 bilhões, o que não é possível no Orçamento brasileiro neste momento”, disse ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, em entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, no último dia 11.

Tópicos